Alex Barros, ex-piloto, chefia equipe líder do Brasileiro de Motovelocidade

Quarta etapa da competição será disputada neste fim de semana em Campo Grande
| 23/07/2015
- 17:50
Alex Barros, ex-piloto, chefia equipe líder do Brasileiro de Motovelocidade

Quarta etapa da competição será disputada neste fim de semana em Campo Grande

Uma grande expectativa gira em torno da equipe do Brasileiro de Motovelocidade que será disputado neste fim de semana no Autódromo Internacional de Campo Grande. As equipes buscam a liderança da competição nas quatro categorias em disputa.

Uma equipe, no entanto, chama a atenção. É a BMW Motorrad Petronas Racing, comandada por Alexandre Barros, que por 21 anos representou o Brasil no Mundial de Moto GP como piloto e que há quatro atua como chefe de equipe e que conta com o francês Matthieu Lussiana, atual líder e com o argentino Luciano Ribodine, bicampeão (2012/2013).

Embora não tenha corrido na pista de Campo Grande, Alex Barros esteve aqui em 2013, quando sua equipe foi a vencedora da prova. Ele afirma que a pista da Capital de MS é muito boa e com as últimas reformas feitas com o recapeamento de alguns pontos, dará plenas condições para que seus pilotos consigam um bom resultado.

Barros afira que ainda está se adaptando à condição de chefe de equipe. “Pilotar é bem melhor, a responsabilidade é apenas na pista. Agora, do outro lado, como chefe da equipe, tenho que cuidar de todos os detalhes, inclusive os mínimos, mas acredito que estou me saindo bem”, afirmou.

Quanto a modalidade no País, acredita que a cada ano está crescendo e ganhando a simpatia do público, pois segundo o dirigente, é cada vez maior o número de pessoas nos autódromos por onde a modalidade passa.

 

Treinos

Embora a programação oficial da Moto 1000 GP (Brasileiro de Motovelocidade) comece nesta sexta-feira (24) os pilotos já tiveram contato com a pista do Autódromo de Campo Grande nesta quinta-feira (23) com os treinos extraoficiais. A movimentação é opcional, para que os mecânicos possam fazer os últimos ajustes nas máquinas.

A coordenação da prova acredita que este evento é importante pelo fato de Campo Grande ter sido sede de apenas uma etapa do campeonato até hoje – foi em 17 de novembro de 2013. Agora medindo 3.504 metros, o traçado sul-mato-grossense poderá revelar velocidades finais próximas dos 300 km/h no fim de semana.

As sessões opcionais do Moto 1000 GP têm dinâmica diferente da que marca a programação oficial: os pilotos das categorias GP 1000, GP 600 e GP Light formam um grupo único, só fracionado quando as inscrições nos treinos excedem o limite técnico de cada pista. O grupo tem, ao longo da quinta-feira, quatro sessões de treinos com duração de uma hora e meia, cada. A série de formação de pilotos GPR 250 tem quatro sessões de 30 minutos.

A partir da sexta-feira, já pela programação do GP Campo Grande, cada categoria terá treinos distintos – a GP 1000, principal categoria do Moto 1000 GP, incluindo os pilotos da classe Evo, o mesmo acontecendo com a GP 600. Serão, por categoria, três sessões livres na sexta e mais uma no sábado (25), dia em que ocorrerão as tomadas de tempo classificatórias para definição das posições de largada para as cinco corridas de domingo (26).
 

Programação
No domingo, a corrida da categoria GP 600 será a primeira da programação do GP Campo Grande, com largada às 9h30 (horário MS) para 14 voltas. Em seguida, às 10h50, será aberta a GP Light, também com percurso de 14 voltas. A série de formação de pilotos GPR 250 terá início às 12h05, para 11 voltas. A GP 1000, atração principal do Brasileiro de Motovelocidade, terá sua prova iniciada às 12h55, com percurso de 16 voltas pelo traçado de 3.504 metros.

Veja também

Primeira brasileira a conseguir chegar às quartas de final de um WTA 1000 no circuito...

Últimas notícias