Esportes

Adriano reclama por ter carro confiscado em blitz da Lei Seca no RJ

O carro foi recolhido ao pátio por estar sem a placa da frente, o que causou revolta no jogador

Gerciane Alves Publicado em 26/02/2015, às 14h24

None
adriano.jpg

O carro foi recolhido ao pátio por estar sem a placa da frente, o que causou revolta no jogador

Mesmo afastado dos gramados desde abril de 2014, quando anunciou seu desligamento do Atlético-PR, o atacante Adriano continua chamando a atenção por se envolver em polêmicas frequentemente. Na noite da última terça-feira, o Imperador teve seu carro apreendido em uma blitz da Lei Seca no Rio de Janeiro. Os guardas, que armaram uma operação para coibir o consumo de álcool aliado ao volante, impediram Adriano de prosseguir e levaram seu Mercedes ao depósito do Detran.

Conhecido por se envolver em noitadas, Adriano, dessa vez, não foi advertido pelo consumo de bebida. O esportivo foi recolhido ao pátio por estar sem a placa da frente, o que causou revolta no jogador. “Roubaram a placa do meu carro, fui parado na lei seca, o detran levou meu carro… tá de sacanagem…”, escreveu em sua conta no Instagram ao publicar uma foto do carro. “Pra depois as pessoas falaram que eu não estava errado… Arrancaram a placa da frente do meu carro… E levaram meu carro… Estou falando que isso é errado”, lamentou.

O atacante não deu maiores detalhes de como pode ter acontecido o furto da placa. Assim como não explicou o porquê de não ter acertado com o Le Havre, clube da segunda divisão francesa, que tentou sua contratação na passagem do ano, mas não teve investimento suficiente.

A ida de Adriano para França em meados de 2014 conjuminou com uma denúncia feita pelo Ministério Público do Rio de Janeiro em que o atleta foi acusado de associação com o tráfico de drogas por ter comprado uma moto e a dado para um traficante da Vila Cruzeiro, onde foi criado, no subúrbio fluminense, registrando o veiculo no nome da mãe de Rogério Souza de Paz, o Mica, que por anos liderou uma quadrilha na região. .

A denúncia da central de inquéritos do Ministério Público foi encaminhada a 29ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça no fim do ano e segue sob apuração das autoridades. No fim de 2014, Adriano iniciou uma negociação com o Guaratinguetá-SP, que disputa a Série A2 do Estadual, mas as tratativas não evoluíram e o Imperador segue inativo e prestes a completar um ano longe dos gramados..

Jornal Midiamax