Cotidiano / Emprego & Concurso

Governo ainda não decidiu o que fazer após suspender concurso suspeito da Sefaz

Após suspender a realização das provas nos dias 23 de fevereiro e 9 de março, o Governo do Estado diz que novas datas e organizadores ainda são discutidos e não há definições sobre o concurso da Sefaz-MS.

Arquivo Publicado em 19/02/2014, às 15h35

None
920227947.jpg

Após suspender a realização das provas nos dias 23 de fevereiro e 9 de março, o Governo do Estado diz que novas datas e organizadores ainda são discutidos e não há definições sobre o concurso da Sefaz-MS.

Após a suspensão do concurso da Secretaria de Estado de Fazenda de Mato Grosso do Sul (Sefaz-MS) para agentes tributários e fiscais de renda, o Governo do Estado não se pronunciou nesta quarta-feira (19) sobre novas datas nem sobre quais pessoas elaborariam a nova prova.


O concurso de agente, que aconteceria no próximo domingo (23) e a concorrência para fiscal de renda, que aconteceria no dia 9 de março, foram suspensos pelo governador André Puccinelli após divulgação de matéria do Midiamax ontem.


O ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso do Sul (OAB-MS), Leonardo Avelino Duarte, era um dos elaboradores da prova e tinha uma prima de primeiro grau participando do concurso. Em nota, Puccinelli declarou que o fato era “insuperável” e determinou a suspensão da concorrência.


As provas já haviam sido impressas na segunda-feira (17), conforme apurou o Midiamax e a Secretaria de Estado de Administração (SAD) divulgou nesta quarta-feira (19) em Diário Oficial que foram gastos R$ 59.200,00 com a elaboração, revisão, formatação e digitação de questões da prova.


A assessoria de comunicação do governo não informou se haverá licitação para que uma empresa de fora seja contratada para elaboração da prova ou se somente os membros da comissão de elaboração do concurso serão mudados.


“Nenhuma medida foi tomada acerca do assunto. A questão será analisada e resolvida administrativamente no governo e assim que houver alguma novidade ela será divulgada”, informou a comunicação.


Como 2014 é ano eleitoral, o Governo do Estado tem apenas até o dia 5 de julho para finalizar o processo de seleção e nomeação dos 40 agentes tributários e 20 fiscais. O salário dos cargos são de R$ 6.661,57 e R$ 10.883,32.


O deputado estadual Júnior Mochi (PMDB) também disse não saber sobre o destino do concurso. “Não sei se vai dar tempo de realizar a prova e nomear os candidatos ainda este ano, nem se outra empresa será contratada”, declarou.


Matéria editada às 16h15 para acréscimo de informações.




Jornal Midiamax