Saque de R$ 1 mil do FGTS começa a liberar dinheiro após a Páscoa; confira o calendário

O saque de R$ 1 mil do FGTS vai começar a ser liberado após a Páscoa
| 05/04/2022
- 14:45
saque de R$ 1 mil do FGTS
Saiba tudo sobre o saque de R$ 1 mil do FGTS. (Foto: Divulgação)

O período de Páscoa está se aproximando e os trabalhadores já estão de olho no dinheiro extra que podem receber após o feriado do dia 17 de abril. Isso porque o saque de R$ 1 mil do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) será liberado a partir do dia 20 de abril, conforme calendário divulgado pelo governo federal.

Dessa forma, será possível que o trabalhador possa sacar até R$ 1 mil do FGTS de forma emergencial. As datas de pagamento se estendem até o dia 20 de abril e foram definidas de acordo com o mês de nascimento do trabalhador.

Por exemplo, quem nasceu em janeiro, já poderá realizar o saque no dia 20 de abril. Os intervalos serão de aproximadamente 10 dias entre um e outro.

Consultas ao saque de R$ 1 mil do FGTS liberadas

Conforme anunciado pela equipe econômica do governo, as consultas aos valores poderão ser feitas a partir do dia 8 de abril, através do aplicativo do FGTS ou pelo site. De acordo com a Caixa Econômica Federal, cerca de R$ 30 bilhões serão liberados para aproximadamente 42 milhões de trabalhadores com direito ao saque.

O governo federal informou que o crédito do novo saque de R$ 1 mil do FGTS será realizado em conta-poupança social digital, aberta automaticamente pela Caixa em nome dos trabalhadores.

O trabalhador que não quiser fazer o Saque Extraordinário do FGTS deverá acessar o Aplicativo FGTS ou se dirigir a uma das agências do banco para informar que não quer receber o crédito.

Calendário do saque de R$ 1 mil do FGTS

calendario fgts - Saque de R$ 1 mil do FGTS começa a liberar dinheiro após a Páscoa; confira o calendário
Calendário de saque de R$ 1 mil do FGTS

Como consultar o saldo do FGTS?

A forma mais prática de verificar seus valores é por meio do aplicativo do FGTS, para isso basta seguir as etapas abaixo:

  • Baixe grátis o aplicativo FGTS no seu celular Android ou iOS;
  • Na tela inicial, selecione a opção “Primeiro Acesso”;
  • Leia o contrato e se concordar clique em “Aceitar”;
  • Informe o número do seu NIS e clique em “Continuar”;
  • Preencha o formulário com seus dados pessoais e clique em “Próximo”;
  • Crie uma senha e aperte em “Cadastrar”.

Como ter acesso?

O novo saque de R$ 1 mil do FGTS será feito por meio digital. Ou seja, não será necessário que as pessoas se desloquem até as agências, bastando acessar o Caixa Tem.

Saiba como antecipar a partir de R$ 500 do saque-aniversário do FGTS, liberado até para negativados

Além do aplicativo do FGTS, o banco deve dispor de outros meios para que os interessados possam saber com rapidez se têm valor a receber e quanto.

Novo saque de R$ 1 mil do FGTS
Saiba tudo sobre o saque de R$ 1 mil do FGTS - Foto: Divulgação

Antecipei o saque-aniversário, vou poder sacar o FGTS emergencial?

A MP que regulamenta o novo saque de R$ 1 mil do FGTS determina que os valores que estiverem bloqueados na conta do FGTS do titular, como é o caso da garantia de operações de crédito de antecipação do saque aniversário, não estarão disponíveis para o saque emergencial.

É importante lembrar que mesmo optando pelo saque emergencial do FGTS as outras possibilidades legais de movimentação dos recursos do Fundo continuarão válidas, como em situações de demissão sem justa causa, extinção da empresa, aposentadoria, falecimento do trabalhador, pagamento de prestações do financiamento habitacional concedido pelo SFH (Sistema Financeiro de Habitação) a pessoas com igual ou superior a 70 anos, além dos casos de definidos em Lei.

Demais saques

Todas as outras regras para movimentar recursos do FGTS estão preservadas. Ou seja, no caso de demissão sem justa causa, aquisição de imóvel ou aposentadoria, o trabalhador deve seguir as regras já vigentes.

Tramitação

Uma vez publicada, a MP que libera o saque de R$ 1 mil do FGTS tem validade máxima de 120 dias. Nesse prazo, ela deve ser analisada pelo Congresso Nacional, em votações separadas na Câmara e no Senado. Os parlamentares também podem fazer alterações no texto.

Veja também

Últimas notícias