Cotidiano / Economia

Benefícios do INSS também terão reajuste com o aumento do salário mínimo; confira

Valor do salário mínimo ainda pode ser reajustado

Fábio Oruê Publicado em 03/01/2022, às 17h11

None
Foto: Divulgação

O valor do salário mínimo coincide com o valor do piso do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) e por isso todos os benefícios pagos pelo órgão precisam ter valor igual ou maior que um salário mínimo. Logo, com o novo valor do sálario, o piso do INSS para 2022 é de R$ 1.212.

Os beneficiários que recebem um salário mínimo (70% do total) receberão o valor atual, de R$ 1,2 mil, entre os dias 25 de janeiro e 7 de fevereiro. Para aqueles que recebem benefícios acima do mínimo, o pagamento ocorrerá a partir de 1 de fevereiro, com um valor que pode ser diferente, de acordo com o INPC acumulado.

Porém, o valor do salário mínimo ainda pode ser reajustado, uma vez que o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) acumulado de 2021 - usado como referência para o reajuste do mínimo - será divulgado no próximo dia 11. No ano passado, o governo não fez reajuste após a divulgação do INPC acumulado.

O teto do INSS é o valor máximo do órgão para os seus beneficiários. Quem se aposenta por tempo de contribuição, por exemplo, não pode receber um valor superior ao teto. Ele sofre um reajuste na mesma porcentagem que o salário mínimo.

Em 2021, o teto do INSS foi de R$ 6.433,57. Logo, se for mantido o reajuste atual do mínimo, de 10,18%, o teto de 2022 será de R$ 7.088,51. Mas o valor exato só será conhecido após a divulgação do INPC acumulado.

Reajuste

O INSS paga, atualmente, 25 benefícios diferentes, entre aposentadorias, pensões e auxílios. Todos esse benefícios sofrem reajuste igual (em porcentagem) ao do salário mínimo. O valor mínimo de todos eles, é de um salário. Confira alguns dos principais:

  • Aposentadoria por idade
  • Aposentadoria por tempo de contribuição
  • Aposentadoria especial
  • Auxílio-acidente
  • Benefício de Prestação Continuada (BPC)
  • Auxílio-doença
  • Pensão por morte
  • Salário-maternidade
  • Auxílio-reclusão

Os abonos salariais e o seguro-desemprego, que são direitos trabalhistas repassados pela Caixa Econômica Federal, sofrem o mesmo reajuste do salário mínimo. Logo, atualmente, eles serão reajustados em 10,18%. Lembrando que a parcela mínima do seguro-desemprego corresponde a um salário mínimo.

Jornal Midiamax