Cotidiano / Economia

Segundo semestre promete ser positivo para e-commerce brasileiro

Produção Publicado em 05/08/2021, às 13h58

Foto Divulgação
Foto Divulgação

O e-commerce brasileiro faturou mais de 74 bilhões no primeiro semestre de 2021 e as projeções são de crescimento para o segundo. Segundo relatório da Neotrust, o primeiro semestre de 2021 foi o maior, em faturamento, para o e-commerce brasileiro.

Foram mais de 164 milhões de pedidos, superando os impressionantes números do primeiro semestre de 2020 (135,6 milhões de compras online), segundo dados coletados através de inúmeras pesquisas e divulgados em diversos portais e sites de notícias de grande repercussão.

Em percentual, o crescimento do faturamento do primeiro semestre de 2021 em relação ao mesmo período do ano passado, ficou acima de 37%.

Vale dizer que as melhores datas para oe-commerce ainda não chegaram e espera-se que a Black Friday e o Natal deste ano consigam superar, com folga, as do ano passado, visto que com a vacinação iniciada e a economia voltando, aos poucos, a girar, deve haver novas contratações e quanto mais gente empregada, mais compras, tanto no mundo físico quanto no online.

Ticket Médio do E-commerce continua subindo

O ticket médio do e-commerce brasileiro é uma boa notícia à parte para os varejistas. No primeiro semestre de 2020, o valor médio das compras online era de R$ 400. No segundo semestre do mesmo ano, o crescimento já havia sido considerável, atingindo R$ 435.

Como o primeiro semestre do ano costuma ser um pouco “mais fraco” nas vendas, não seria assustador se o valor se mantivesse ou caísse um pouco, porém, não foi isso o que aconteceu e nos primeiros 6 meses de 2021, o ticket médio do e-commerce passou para R$ 455, elevando as expectativas para o próximo período.

Ainda dá tempo de montar um e-commerce?

Quem ainda não iniciou uma operação online talvez tenha a sensação de ter perdido uma grande oportunidade de negócio, e, de fato, quem já está consolidado na internet, consegue resultados muito mais expressivos do que quem está iniciando uma operação, porém, isso não é diferente com quem inicia um negócio físico, seja uma loja, um restaurante ou uma oficina.

Demora um tempo para que os resultados comecem a aparecer, para que a operação consiga tração, carteira de clientes, presença e reputação nas mídias sociais e outros fatores essenciais para o sucesso de uma loja virtual. Isso, no entanto, não deve servir como impeditivo, pois quem começa, mesmo que um pouco depois do momento ideal, consegue mais resultados do que quem não inicia nunca.

Como criar uma loja virtual?

A pergunta mais popular para quem está pensando em iniciar uma operação digital é “como criar uma loja virtual” e a resposta é bem extensa, pois passa pelo campo da tecnologia, da administração, do marketing, da logística e muitas outras áreas.

No fim das contas, se toda a análise for feita corretamente, pode demorar tanto tempo que o projeto pode não sair do mundo das ideias, então, a dica mais prática para quem quer começar uma operação digital é: comece!

As adaptações podem ser feitas ao longo do caminho e certamente muitos erros acontecerão, mas, na maioria dos casos, errar é uma forma de aprender e, a menos que você queira investir uma fortuna sem saber muito bem como fazer a loja funcionar, seus erros não devem fazer com que o negócio não dê certo, pois há muito conteúdo de qualidade na internet, muitos grupos de discussão e muitas possibilidades de aprender, tanto com a rotina, quanto com os ensinamentos de quem já deu mais passos do que você nessa trajetória.

Se você gostou desse conteúdo, não deixe de compartilhar! Ele pode ser útil para outras pessoas também.

Jornal Midiamax