Cotidiano / Economia

Com lojas fechando as portas, pandemia acelera migração para o virtual em Campo Grande

Estabelecimentos que, por anos atendiam em espaço físico, agora pensam em atender 100% online

Mariane Chianezi Publicado em 18/05/2021, às 07h24

None
Leonardo de França, Midiamax

Desde março de 2020, quando as autoridades começaram a decretar o fechamento do comércio não essencial, as empresas têm vivido uma corrida para adaptar seus procedimentos para o meio virtual em Mato Grosso do Sul. Com essas mudanças, muitas lojas deixaram os espaços físicos e 'se mudaram' para os atendimentos e vendas apenas no ambiente virtual. 

Com isso, as redes sociais tem sido de extrema importância no impulsionamento das vendas e amostra de produtos. Como no caso da Maps Loja Infantil, que está há 30 anos no mercado em Campo Grande. 

Conforme uma das gestoras da loja, Monique Cervera, a internet tem sido uma vitrine para garantir a faturação da loja. A empreendedora comenta que a pandemia da Covid-19 fez com que a empresa 'abrisse os olhos' para os panoramas que as redes sociais poderiam proporcionar para os negócios. 

"Vimos na necessidade a alternativa de vender online. O Instagram tem sido uma boa vitrine para as vendas, investimos em fotos, produzimos, pois muitas vezes os clientes se apaixonam pela produção da venda. Já temos um site e provavelmente vamos migrar 100% para o online", comentou com a reportagem.

A loja de segmento infantil ainda segue com atendimento presencial também, mas durante os últimos meses, as vendas são na maioria por meio virtual. "No ano passado, ficamos 15 dias fechados e as vendas por WhatsApp nos salvaram. Hoje temos a opção de entrega, catalogo online, tudo para ser um atendimento objetivo", explicou.

Atualmente, a loja tem apostado em roupas infantil para o inverno e tem sido o carro-chefe das vendas. "Tem produtos chave, já deixamos o produtos no jeito. Não vou mentir, as vendas caíram consideravelmente no último ano, mas estamos indo. No ramo infantil, pijama de frio tem uma saída muito boa. Campeão de vendas. Peças mais básicas também é o que vende bastante", comentou Monique.

Adaptação na pandemia 

Os empreendedores em Campo Grande precisaram passar por meses de adaptação para conseguir manter o seus negócios funcionando durante as restrições da pandemia. O presidente da CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas) de Campo Grande, Adelaido Vila, disse que antes, a internet servia apenas como um meio de divulgação de trabalhos e serviços, mas que agora é uma aliada na economia. 

"A internet tem tido um papel fundamental nesse momento, aproximando o consumidor das empresas para consumirem esses produtos. Antes, a internet servia apenas com um meio de divulgação desses produtos e hoje, graças a toda essa tecnologia, temos inúmeros apps, sites, redes sociais, que contribui nas vendas dos produtos", disse Vila.

Não só as micro e pequenas empresas investem nas vendas pela internet, como também as grande multinacionais. Lojas de eletrodomésticos e eletrônicos criaram meios de atendimento e vendas pelo WhatsApp e os vendedores que atendem nas próprias lojas físicas fazem esse atendimento e, se concretizar a venda, recebe normalmente a sua comissão. 

ASlém disso, lojas de segmento de beleza investem na disponibilização de vouchers que dão 10% de desconto e frete grátis. 

Jornal Midiamax