Cotidiano / Economia

Abertura de empresas tem melhor quadrimestre em 11 anos em MS, indica Jucems

Aumento foi de 30% em relação ao mesmo período do ano passado

Gabriel Maymone Publicado em 17/05/2021, às 12h24

Maioria das empresas são do setor de serviços
Maioria das empresas são do setor de serviços - Leonardo de França / Midiamax

Mato Grosso do Sul registrou a abertura de 3.088 novas empresas no período entre janeiro e abril de 2021, segundo dados da Jucems (Jumta Comercial de MS). O resultado é o maior para os últimos 11 anos e supera em 13,8% o melhor desempenho registrado na série histórica, que foi em 2013, com a criação de 2.674 empreendimentos.

Se comparado com o mesmo período do ano passado, o crescimento registrado é de 30% - em 2020 foram 2.361 novas empresas abertas no Estado.

Assim, para o secretário de desenvolvimento econômico de MS, Jaime Verruck, o balanço mostra dois fatores importantes. "A desburocratização do processo de abertura de empresas surtiu efeito imediato ao reduzir de forma drástica o tempo que se gastava para aprovar a abertura de uma empresa, além de eliminar as idas no escritório da Junta. Agora é tudo feito de forma digital. E segundo, que a economia do Estado tem reagido bem aos estímulos do governo em apoio ao empreendedorismo, de modo que estamos tirando proveito do bom momento vivido pelo agronegócio que carrega junto outros setores”.

Dessa forma, das 3.088 novas empresas, 1.981 (64,09%) são do setor de Serviços, 966 (31,25%) do setor do Comércio e 144 (4,66%) do setor da Indústria, como atividade principal. O crescimento se mede também média mensal de aberturas de empresas de janeiro a abril. Foram 772, contra 590 do mesmo período do ano passado, o que representa aumento de 31 %.

No mês de abril, especificamente foram constituídas 716 empresas em Mato Grosso do Sul, desempenho superior em 59,11% ao de abril do ano passado em que o resultado foi de 450 novas empresas abertas. Cabe lembrar que aquele foi um dos piores meses para a economia do país como um todo devido aos efeitos negativos da Pandemia Covid-19 que impactou todos os setores.

Os municípios que atraíram mais investimentos no primeiro quadrimestre do ano foram: Campo Grande, com 120 novas empresas (38,34%), seguido de Dourados (9,9%), Três Lagoas (8,31%), Maracaju (2,88%), Ponta Porã (2,56%), Corumbá (2,24%) e São Gabriel do Oeste (2,24%).

Fechamentos

O número de fechamentos de empresas no 1º quadrimestre de 2021 foi de 1.352, que representa 3,68%, superior ao apurado em 2020, quando foram fechadas 1.304 empresas. O setor do Serviços também aparece como o mais impactado, com 717 empresas fechadas (53,03%). Comércio (565) e Indústria (70) vêm em seguida.

Na avaliação do presidente da Jucems, Augusto Castro, dois fatores em especial contribuíram para esse número de extinções de empresas. “O principal é o impacto das medidas adotadas pelo poder público para conter a Pandemia Covid-19, e o segundo fator importante foi a extinção da cobrança da taxa para fechamento de empresas pelas juntas comerciais de todo país determinada a partir da Lei da Liberdade Econômica”.

Jornal Midiamax