Petrobras vai aumentar preço da gasolina pela oitava vez neste mês

A Petrobras vai aumentar os preços da gasolina e do diesel vendidos em suas refinarias, na próxima quarta-feira (16): os combustíveis terão reajuste de 1,84% e 2,0%, respectivamente. A gasolina passa de R$ 1,9330 para R$ 1,9686 e o diesel de R$ 2,0877 para R$ 2,2682. Com relação à gasolina, é o oitavo aumento que […]
| 15/05/2018
- 16:02
Petrobras vai aumentar preço da gasolina pela oitava vez neste mês

A vai aumentar os preços da gasolina e do diesel vendidos em suas refinarias, na próxima quarta-feira (16): os combustíveis terão reajuste de 1,84% e 2,0%, respectivamente. A gasolina passa de R$ 1,9330 para R$ 1,9686 e o diesel de R$ 2,0877 para R$ 2,2682.

Petrobras vai aumentar preço da gasolina pela oitava vez neste mêsCom relação à gasolina, é o oitavo aumento que a companhia aplica neste mês. No dia 1º, o custava R$ 1,8072 e teve o valor reduzido no dia 3 para R$ 1,7893.

Desde então, não parou mais de subir, totalizando aumento de 8,9% só nos primeiros 16 dias do mês.

O diesel, acumula alta de 8,6% neste mês. Assim como a gasolina, teve uma pequena redução no dia 3 e, desde então, acumula altas seguidas.

Petrobras vai aumentar preço da gasolina pela oitava vez neste mêsOs reajustes já podem ser observados nos postos de combustíveis da Capital.

Depois de várias semanas com os estabelecimentos mantendo o valor do litro da gasolina em torno dos R$ 3,99, já é possível ver as placas com valores chagando a R$ 4,09 até mesmo na área central de Campo Grande, onde a concorrência costuma segurar os preços mais em conta.

Petrobras vai aumentar preço da gasolina pela oitava vez neste mês

De acordo com a Petrobras, a política de preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo.

Já o valor pago pelo consumidor final não está sob gestão da Petrobras e é composto por 4 fatores: Preços do produtor ou importador de gasolina “A”; Carga tributária; Custo do etanol obrigatório e Margens da distribuição e revenda.

Veja também

Ritmo havia sido interrompido pela pandemia da covid.

Últimas notícias