Cotidiano / Economia

Após três anos de queda, varejo em MS cresce 19,1%, aponta IBGE

MS teve melhor desempenho do país 

Midiamax Publicado em 12/04/2017, às 13h13

None
comercio_varejista_julho2016.jpg

MS teve melhor desempenho do país 

A alta de 19,1% no volume vendido pelo varejo em fevereiro ante janeiro foi o desempenho mais positivo de Mato Grosso do Sul no setor desde 2013, quando as vendas aumentaram 15,6%. A constatação é da Pesquisa Mensal do Comércio (PME) divulgada hoje (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (IBGE).

O estudo mostra que o desempenho do Estado tem crescido a contar de dezembro passado – período em que as vendas tradicionalmente aumentam. Naquele mês, o recuo no volume de vendas foi de -6,1%, e janeiro de 2017 apresentou um desempenho menos ruim, a queda nas vendas comparada ao resultado anterior foi de -0,7%. Também no confronto com o mês passado, portando o primeiro do ano, o Estado disparou e registrou alta de 19,1%.

O Estado registrou o melhor desempenho dentre as 27 unidades federativas do país, após duas quedas seguidas. Mas, embora o resultado seja positivo, a avaliação dos últimos doze meses mostra que o Estado ainda precisa caminhar mais para se recuperar do mau momento da economia. O índice e variação de volume de vendas no comércio varejista acumulada no último ano é de -4,7%. 

No Comércio varejista, na passagem de janeiro para fevereiro de 2017, na série com ajuste sazonal, as vendas recuaram em 11 das 27 Unidades da Federação, com as maiores variações negativas observadas em Mato Grosso (-4,7%); Rio Grande do Sul (-4,4%) e Goiás (-4,2%). Na comparação de fevereiro de 2017 com igual mês do ano anterior (série sem ajuste), no volume de vendas, 21 das 27 Unidades da Federação apresentaram resultado negativo, com destaque para Goiás (-15,0%), Tocantins (-14,9%) e Pará, com -14,0%. 

O comércio varejista nacional registrou no segundo mês do ano de 2017 taxas de -0,2% para o volume de vendas e 0,1% para receita nominal, ambas as taxas em relação a janeiro de 2017, na série ajustada sazonalmente. Quanto ao volume de vendas, o resultado volta a ser negativo, porém não exerceu efeito sobre a média móvel que se mantém positiva pelo segundo mês seguido: 1,0% em fevereiro e 1,4% em janeiro. Em relação a fevereiro de 2016, o varejo nacional recuou 3,2%, em termos de volume de vendas, vigésima terceira taxa negativa consecutiva nessa comparação.

 Assim, o comércio varejista acumulou redução de 2,2% nos dois primeiros meses de 2017 e taxa acumulada nos últimos doze meses de -5,4%. Para esses mesmos indicadores, em fevereiro de 2017, a receita nominal de vendas apresentou taxas de variação de 0,4% em comparação ao mesmo período de 2016, de 2,1% acumulada no ano e de 4,2% nos últimos doze meses. 

O comércio varejista ampliado, que inclui além do varejo as atividades de Veículos, motos, partes e peças e de Material de construção, registrou resultado positivo em relação ao mês anterior, na série ajustada sazonalmente, com variação de 1,4% para o volume de vendas e 1,0% para receita nominal de vendas. Em relação ao volume de vendas, o índice positivo pela quarta vez seguida, manteve a média móvel positiva também pelo quarto mês consecutivo (1,5% em fevereiro de 2017).

Em relação ao mês de fevereiro do ano anterior, o comércio varejista ampliado apresentou queda de 4,2% para o volume de vendas e de 1,7% na receita nominal de vendas. No que tange às taxas acumuladas, as variações foram de -2,1% no ano e de -7,5% nos últimos 12 meses, para o volume de vendas, e de 0,8% e -0,3% para a receita nominal, respectivamente

Jornal Midiamax