Cotidiano / Economia

Apesar da crise, ministro garante que frigoríficos não planejam demitir

Empresas deram férias e reduziram abates

Celso Bejarano Publicado em 30/03/2017, às 21h06

None
blairo.png

Empresas deram férias e reduziram abates

O ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), disse nesta quinta-feira (30), em Campo Grande, que os frigoríficos que impuseram aos seus empregados redução de jornadas e também determinaram férias coletivas, garantiram ao governo federal que, embora a crise que assola o setor desde a semana passada, com o desencadeamento, não planejam demissões.

Aqui em Mato Grosso do Sul a empresa JBS, gigante da carne brasileira reduziu o abate em 35% e anunciou férias ao quadro de funcionários de três unidades.

“Cada empresa adotou estratégia diferente para readequarem aos mercados. O mercado da carne é uma cadeia diária, funciona todo o dia, recuperar-se disso demanda tempo”, disse o ministro.

Maggi, que viaja mês que vem para a China, importante país importador da carne brasileira, afirmou também que “há frigoríficos optando por férias, outros reduzindo carga horária por ter estoques de carne, mas não pensando em demissões. Havendo demanda, o mercado recupera”.

Meses

Blairo Maggi, ex-governador e ex-senador de Mato Grosso antes de virar ministro, disse ainda que o mercado da carne deve levar um tempo para se recuperar.

“O convencimento da qualidade do produto brasileiro vai demorar algum tempo. Creio que volte a normalidade absoluta em alguns meses”, previu no ministro.

Maggi viaja para a China com a intenção de provocar aos negociantes chineses que a carne brasileira é de “boa qualidade” e que a investigação da PF “não foi tudo isso que falaram”.

De acordo com a PF, os grandes frigoríficos bancavam campanhas políticas e, em troca disso, eram favorecidos na fiscalização de seus produtos.

Jornal Midiamax