Cotidiano / Economia

Confaz autoriza e preço de gasolina sobe em MS, 15 dias após queda

Gasolina pode aumentar R$ 0,04

Wendy Tonhati Publicado em 25/10/2016, às 11h42

None
img-20160414-wa0056_0.jpg

Gasolina pode aumentar R$ 0,04

O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) autorizou o aumento no preço dos combustíveis para o mês de novembro. 

De acordo com ato do Cotepe (Comissão Técnica Permanente) publicado no DOU (Diário Oficial da União), em Mato Grosso do Sul, a gasolina deve ter aumento ao consumidor final de R$ 0,04 (de R$ 3,553 para R$ 3,590), óleo diesel R$ 0,06 (de R$  3,207 para 3,2604) e o diesel S10, R$ 0,02 (de R$ 3,3886 para R$ 3,407). O etanol hidratado deve ter a maior elevação de preço: R$ 0,13 (de R$ 2,697 para 2,828).

O reajuste poderá ser aplicado pelos donos de postos de combustíveis a partir de 1° de novembro. A aumento vai acontecer 15 dias depois de a Petrobras anunciar queda no prelo dos combustíveis nas refinarias: 3,2% (gasolina) e 2,7% (diesel). 

Em Campo Grande, os motoristas não chegaram a sentir a queda esperada, de R$ 0,05, nos preços. A população continuou fazendo pesquisa e até encontrando valores em torno dos R$ 3,20, porém, valor promocional e não, causado pelo redução da Petrobras. 

Diante do cenário de redução de preços nas refinarias que não chegou ao consumidor, o Sinpetro (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência de Mato Grosso do Sul) informou que a definição dos preços dos combustíveis praticados pelos revendedores é regulada exclusivamente pelo mercado e que governo e os sindicatos do setor não interferem na formação dos valores. 

Confaz autoriza e preço de gasolina sobe em MS, 15 dias após quedaO sindicato ainda informou que as altas de preço do etanol, em função da entressafra da cana-de-açúcar, interferiu na redução do preço, pois a gasolina comercializada no Brasil possui 27,5% de etanol em sua composição, “o que praticamente anulou a redução do preço da gasolina”.

Preços

Conforme levantamento da ANP (Agência Nacional de Petróleo), no Estado, o preço médio da gasolina em outubro foi de R$ 3,47.  

Em Campo Grande, o preço médio ao consumidor em outubro (entre os dias 1° e 20), foi: gasolina (R$ 3,65); etanol (R$ 2,63) e diesel S10 (R$ 3,14). Nacionalmente, em outubro, Mato Grosso do Sul teve a terceira gasolina mais barata do Brasil, perdendo apenas para Brasília (R$ 3,468 ) e São Paulo (R$ 3,460).

Semanalmente, o preço da gasolina teve reajuste de até R$ 0,04, na Capital. Entre 25 de setembro e 1° de outubro (R$ 3,27); entre os dias 2 e 8 (R$ 3,29); entre 9 e 15 (R$ 3,31) e entre 16 e 22 (R$ 3,35). 

Queda nas refinarias

A diminuição de 3,2% (gasolina) e 2,7% (diesel) começou a valer a partir de sábado (15) nas refinarias de todo o país. A decisão foi anunciada pela Petrobras, que mudou a política de preços para os derivados que vigorava há cerca de uma década. Com a diminuição de preços, a expectativa era de que nos postos, o preço do diesel caísse cair em média 1,8% e a gasolina 1,4%, em ambos os casos uma queda de R$ 0,05 por litro.

Foi a primeira redução de preços em refinaria desde 2009, quando, no mês de junho, o preço da gasolina diminuiu 4% e o diesel, 15%.

Desde que a queda nas refinarias foi anunciada pela Petrobras, o Jornal Midiamax percorreu postos de combustíveis para saber se os empresários diminuíram os preços ou se pretendem reduzir. Até o momento, nenhuma redução.

Jornal Midiamax