Cotidiano / Economia

Chuva atrapalha, mas com salário e 13º, consumidores finalmente aparecem nas lojas

O horário ampliado ainda não está sendo bem aproveitado

Tatiana Marin Publicado em 16/12/2016, às 19h41

None

O horário ampliado ainda não está sendo bem aproveitado

Os dias de chuva interferiram, mas finalmente as lojas passaram a receber mais clientes. As calçadas estão cheias de consumidores. E consumidores com sacolas. Com o pagamento do salário e do décimo terceiro e a proximidade do Natal, os campo-grandenses finalmente começaram a gastar. Apesar do horário ampliado, os compradores não estão aproveitando as horas extras em que as lojas permanecem abertas.

A perspectiva dos lojistas varia. A gerente Maria Isabel Barbosa de Souza, da loja Bumerang, por exemplo afirmou que até esta sexta-feira (16) atingiu apenas 30% da meta de vendas e que, se continuar assim, deve atingir 60% no máximo. “Em dezembro o movimento melhorou em vista dos outros meses, mas está pior que ano passado, quando faltou pouco para batermos a meta”, relata.

Em uma das lojas Boticário o cenário é melhor. “Estamos vendendo bem. Em dezembro o número de vendas aumentou, mas esperamos que na próxima semana aumente mais. A maioria acaba deixando para a última hora”, explica a gerente Renata Aquino.

Chuva atrapalha, mas com salário e 13º, consumidores finalmente aparecem nas lojasOs clientes de uma das lojas Maube animaram-se apenas após o quinto dia útil. “Estamos percebendo que as pessoas não estão com dó de comprar, como em outras datas especiais, quando pedem desconto”, informa a vendedora Claudia Oliveira.

A gerente Patrícia Reis Vendramin, da loja Estilo e Moda, também percebeu um tímido aumento do movimento após o pagamento do salário. “No sábado foi particularmente bom e esperamos que a partir deste final de semana e na semana que vem seja melhor. Este ano o movimento está cerca de 10% menos que ano passado”, pontua.

Chuva atrapalha, mas com salário e 13º, consumidores finalmente aparecem nas lojas

Chuva

Segundo alguns lojistas a chuva atrapalhou o comércio. A vendedora Cláudia disse que o movimento do centro foi afetado pelo clima. “Tem dia que você acha que vai vender, mas com a chuva as pessoas acabam não vindo para o centro”, analisa. Renata, gerente da Boticário, teve a mesma constatação. “Em dezembro tivemos vários dias de chuva, o que interferiu bastante nas vendas”, explica.

Horário ampliado

O horário de funcionamento do comércio foi ampliado pela CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas). Desde o dia 5 de dezembro as lojas passaram a fechar às 20h e, a partir do dia 12, às 22h. Entretanto poucas pessoas estão aproveitando as 4 horas extras de comércio.

Maria Isabel, gerente da Bumerang, diz que entram apenas de 3 a 4 clientes dentro deste horário. Na Boticário e na Estilo e Moda o movimento permanece bom até às 20h, mas diminui drasticamente após este horário.

A gerente Patrícia acredita que falta informação sobre o horário estendido. “Os clientes ficam surpresos ao saber que o comércio está aberto após às 20h. Acho que as pessoas não estão sabendo e o movimento está tão baixo que algumas lojas começam a fechar a partir das 21:30”, finaliza.

Jornal Midiamax