Cotidiano / Economia

Petrobras salta mais de 4% após dias de queda, e Bolsa fecha em alta de 3%

É a maior alta percentual diária desde 17 de dezembro do ano passado.

Clayton Neves Publicado em 07/01/2015, às 20h05

None
petrobras-rio-rj-20110104-03-size-598.jpg

É a maior alta percentual diária desde 17 de dezembro do ano passado.

As ações da Petrobras subiram mais de 4% nesta quarta-feira (7), puxando a segunda alta seguida do Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira. O índice subiu 3,05%, a 49.462,91 pontos. É a maior alta percentual diária desde 17 de dezembro do ano passado, quando a Bovespa havia subido 3,63%. 

 Na véspera, a Bolsa encerrou em alta de 1,02%.

Os papéis ordinários da Petrobras (PETR3), com direito a voto, avançaram 4,84%, a R$ 8,45, após quatro quedas seguidas. Os preferenciais (PETR4), com prioridade na distribuição de dividendos, ganharam 4,08%, a R$ 8,67, interrompendo uma sequência de seis baixas. Na véspera, os papéis atingiram o menor valor de fechamento em mais de dez anos. 

Assim como na sessão anterior, as siderúrgicas foram destaque entre as altas do Ibovespa no dia, em meio a informações sobre reajuste de preços do aço.

A CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) (CSNA3) saltou 10,81%, a Gerdau (GGBR4) subiu 7,53%, e a Metalúrgica Gerdau (GOAU4) ganhou 6,89%. 

Os bancos, que assim como a Petrobras têm grande peso sobre o Ibovespa, também tiveram altas expressivas. O Banco do Brasil (BBAS3) subiu 4,4%, o Bradesco (BBDC4) teve ganhos de 3,97%, e o Itaú Unibanco (ITUB4) teve valorização de 3,62%. 

Dólar fecha quase estável, a R$ 2,704

No mercado de câmbio, o dólar comercial chegou a cair mais de 1%, mas reduziu as perdas e fechou quase estável, com leve alta de 0,06%, a R$ 2,704 na venda. Na véspera, o dólar havia caído 0,25%.

O resultado desta sessão foi influenciado por uma saída pontual de dólares do país.

Bolsas internacionais

As Bolsas de Valores da Europa fecharam sem uma tendência definida. O mercado de ações da Inglaterra avançou 0,84%, e o da França ganhou 0,72%. A Bolsa da Alemanha subiu 0,51%, e a da Espanha registrou alta de 0,21%. Na contramão, Portugal perdeu 0,73%, e Itália teve queda de 0,11%.

Na Ásia e no Pacífico, as Bolsas fecharam em alta, com exceção de Sydney, na Austrália, que recuou 0,21%. A Bolsa de Hong Kong subiu 0,83%, e a de Xangai, na China, ganhou 0,69%. Taiwan registrou alta de 0,35%, e Cingapura teve valorização de 0,5%. O índice japonês Nikkei e a Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, fecharam praticamente estáveis, com leve alta de 0,01% e 0,07%, respectivamente. 

Jornal Midiamax