Cotidiano / Economia

Pesquisa aponta recuperação do comércio, mas lojistas reclamam de movimento fraco

Compras por crediário são responsáveis pela recuperação do comércio

Thatiana Melo Publicado em 15/04/2015, às 13h44

None
img_1605-site.jpg

Compras por crediário são responsáveis pela recuperação do comércio

Depois de um fim de ano ‘magro’ para os lojistas de Campo Grande, o comércio apresentou em março uma leve recuperação em 15,6%, é o que aponta a ACICG (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande.

Os números do banco de dados do SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) revelam que as consultas ao sistema de crédito subiram 18,6% em relação a fevereiro,totalizando 50.918. Já a comparando março deste ano com o mesmo período do ano passado tem-se aumento em 15,6%.

“Como a população está sem dinheiro, as compras a prazo têm crescido muito.  Neste momento a tendência é haja uma estabilidade”, fala o presidente da AICG, João Carlos Polidoro. O primeiro trimestre de 2015 teve alta de 2,6% em relação ao mesmo período do ano passado, com aumento de 139.279 consultas ao SCPC. Atualmente 123 mil campo-grandenses estão com nome cadastrado ao serviço de crédito.

Mas, comerciantes da Capital reclamam das vendas que continuam em baixa, e que pesquisa não mostra realidade. “Está tudo parado, o quadro de contratações também está estático. Esperamos que com a chegada do mês das mães as vendas aumentem, em relação ao ano passado”, fala Cleuder Barbosa, gerente de um loja de eletrodomésticos.

A gerente de outra loja também reclama do movimento fraco. “Janeiro e fevereiro foram meses ruins. Março as vendas melhoraram e com a proximidade do dia das mães esperamos um fluxo melhor de consumidores”, explica Ana Cláudia que ainda diz que o consumidor está mais reservado na hora da compra. “As pessoas estão com o dinheiro curto, por isso, só vêm atrás de promoção, mas esperamos para o mês de maio vendas de pelo menos 10% a mais que no ano passado”, diz.

“O consumidor está com vantagem em cima dos comerciantes, já que os empresários estão fazendo o máximo de esforço para atrair o consumidor”, explica Polidoro.

Jornal Midiamax