Cotidiano / Economia

Para receber R$ 36 milhões de dívidas da Petrobras, empresários pedem ajuda a Simone

Prefeita de Três Lagoas afirmou que suspensão das obras tem causado prejuízo social e econômico ao município

Ludyney Moura Publicado em 20/02/2015, às 19h26

None
img_3447.jpg

Prefeita de Três Lagoas afirmou que suspensão das obras tem causado prejuízo social e econômico ao município

A paralisação das obras da UFN III (Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados da Petrobras) deixou dezenas de empresários do município de Três Lagoas, distante 339 km da Capital, endividados. Nesta sexta-feira (20), uma comissão de credores procurou ajuda da senadora Simone Tebet e da prefeita Márcia Moura, ambas do PMDB, para tentar uma resposta da Petrobras. 

“Vamos pressionar a Petrobras para nos dar um parecer sobre a retomada da obra, que é de extrema importância para o município, e para buscar a melhor solução para garantir o pagamento dos credores o mais rápido possível”, disse a senadora peemedebista aos empresários.

Eles esperam receber cerca de R$ 36 milhões de serviços prestados ao consórcio encabeçado pela Galvão Engenharia, que abandonou a obra depois que executivos da empreiteira foram presos na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que investiga um suposto esquema de corrupção na estatal.

“A reunião foi de suma importância porque ganhamos este forte apoio. Com toda experiência política, capacidade administrativa e conhecimento da realidade de Três Lagoas, a senadora Simone Tebet certamente vai nos ajudar”, frisou um dos empresários que se reuniram com a peemedebista, Atílio Carlos D’Agosto, que perfilados metálicos ao consórcio.

Simone revelou aos empresários que já solicitou uma audiência com a direção da estatal petrolífera, com sede no Rio de Janeiro (RJ).  “Recorremos à senadora porque sabemos que em Brasília ela pode interceder por nossos empresários, com ela teremos voz lá dentro também” finalizou a prefeita de Três Lagoas, reclamando também do chamou de ‘prejuízos econômicos e sociais’ com a paralisação das obras. 

Jornal Midiamax