Cotidiano / Economia

Microempresas são responsáveis por 45,1% do crescimento da economia do Estado

O maior número de vagas ainda se concentra na Capital

Thatiana Melo Publicado em 14/04/2015, às 11h27

None
img-20150413-wa0047.jpg

O maior número de vagas ainda se concentra na Capital

Pesquisa divulgada pelo IPF (Instituto de Pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de mato Grosso do Sul), revela que Mato Grosso do Sul teve crescimento na geração de empregos, principalmente, no setor terciário, e que as microempresas são responsáveis em 45,1% pelo crescimento.

Mas, os dados revelam que o sexo feminino ainda enfrenta problemas na busca do emprego, já que 59,2% das vagas são ocupadas pelos homens, num total de 376.375, e 259. 256 mulheres em Campo Grande.  Os dados mostram que Campo Grande detém 48% das vagas, seguido por Dourados 14%, Três Lagoas 9%, Paranaíba 6% e Corumbá 5%.

Ainda segundo a pesquisa a remuneração média chega a R$ 1.407,60 na Capital, R$ 1.499,60 em Dourados, em Paranaíba R$ 1.524,50 e em Três Lagoas R$ 1.552,30. Para a economista, Regiane Dedé este é um quadro de oportunidades. “O setor do comércio tem gerado muito mais emprego e renda no Estado”, fala a economista.

O maior número de vagas ainda se concentra em Campo Grande com 306.509 postos de trabalho, seguido por Dourados com 90.747, Três Lagoas com 53.088 postos de trabalho, Paranaíba com 35.601 e Corumbá com 32. 815 vagas de emprego.

“Vamos depender agora de negociações feitas entre o setor produtivo, e o governo para que este quadro perdure por mais tempo”, diz Regiane Dedé que ainda afirma que os indicadores sazonais quando comparados com indicadores do país, o Estado tem perspectivas de recuperação no primeiro semestre.

Jornal Midiamax