Mesmo puxado pela alta da alimentação, inflação de junho registra baixa na Capital

Alimentação impactou em 0,22%
| 07/07/2015
- 18:59
alimentos
(Foto: Ilustrativa/Arquivo Midiamax)

Alimentação impactou em 0,22%

Mesmo com a alta no grupo alimentação de 1,06% fechando o mês com números em 10,45%, e habitação com elevação de 0,25% fechando com 10,82%, o índice inflacionário de junho em Campo Grande fechou com redução em 0,38% abaixo da de maio, que ficou em 0,61%.

Segundo a pesquisa realizada pelo IPC/CG (Índices de Preços ao Consumidor de Campo Grande) a estimativa é que nos próximos meses a inflação seja menor, já que vem sofrendo redução a cada mês, apesar da inflação acumulada nos últimos doze meses, em Campo Grande ter ultrapassado o índice fixado pelo CMN (Conselho Monetário Nacional) que é de 6,5%. O índice na Capital ficou em 9,07%.

O grupo que ajudou a puxar a inflação para baixo foram algumas peças de vestuários como tênis -0,05%, blusa feminina -0,01%, short -0,01% e alguns itens de alimentação como laranja pera -0,025, feijão -0,01%, paleta com -0,01%.

Já os itens que puxaram a inflação para cima foram os do setor de vestuário como sapato feminino com 0,03%, e calça feminina com 0,02%, além de alguns itens de alimentação como cebola com 0,02%, frango congelado com 0,02%, arroz 0,02% e leite pausterizado com 0,02%.

A explicação segundo pesquisa do IPC do sobe e desce dos preços está relacionada com a sazonalidade de alguns produtos, principalmente, no setor da alimentação, que tem preços diferenciados com término de safras ou entrada de safras. Além disso, outro ponto citado é o fator clima que pode influenciar no aumento ou queda de produtos, como as verduras e legumes.

 

Veja também

Em um trimestre, o banco público viu o lucro reduzir 27,9%

Últimas notícias