Cotidiano / Economia

Intenção de consumo das famílias campo-grandenses se mantém instável em junho

Desde o início do ano a intenção caiu 20 pontos

Kemila Pellin Publicado em 22/06/2015, às 19h09

None
consumidor.jpg

Desde o início do ano a intenção caiu 20 pontos

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou nesta segunda-feira (22), uma nova pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) e em Campo Grande. O resultado permaneceu estável em junho (102,2) com apenas 0,6 pontos a menos do que em maio, quando a intenção marcou 102,8%.

Comparado ao mesmo período de 2014, o ICF caiu 11 pontos, de 113,8 para 102,2 neste ano. Num comparativo dos últimos seis meses, a intenção teve queda de 20 pontos. “Embora haja um ligeiro recuo nas perspectivas profissionais e percepção da renda atual em relação a 2014, mais pessoas informam que mantiveram o consumo neste mês de junho em relação ao mesmo período do ano passado, o que já indica reação comparado a maio”, explica o presidente da Fecomércio MS, Edison Araújo.

Os consumidores também avaliaram de forma mais positiva o momento para a compra de bens duráveis, como eletrodomésticos. Em junho 10,8% das famílias informaram que elevaram o consumo em relação ao ano passado, índice que se manteve estável, mas 35% informaram que mantiveram o mesmo nível de compras, acréscimo de três pontos percentuais comparado a maio.

Desemprego:

Em relação ao desemprego, os percentuais são positivos. Em junho de 2014, 16,9% dos entrevistados apontavam estar desempregados e desta vez o índice foi de 10,3%. No quesito satisfação e seguridade com o emprego, 33,6% disseram se sentir igual a um anos atrás.

Quanto às perspectivas para os próximos seis meses, 54% afirmaram estar esperançosos, acreditando numa melhora profissional.

Jornal Midiamax