Cotidiano / Economia

IBGE estima safra de grãos em 199,7 milhões de toneladas em 2015

Quantidade é 0,1% maior que a prevista em fevereiro, ou 139,2 mil toneladas a mais

Clayton Neves Publicado em 10/04/2015, às 19h08

None
colheita-lavoura-soja-sao-borja-rio-grande-sul-20100429-original.jpeg

Quantidade é 0,1% maior que a prevista em fevereiro, ou 139,2 mil toneladas a mais

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) prevê uma safra de grãos de 199,7 milhões de toneladas em 2015, aumento de 3,6% em relação à produção de 2014, quando totalizou 192,8 milhões de toneladas. A previsão consta no Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de março. A quantidade estimada é 0,1% maior que a prevista em fevereiro, ou 139,2 mil toneladas a mais do que a previsão feita à época.

Em área, o Brasil deve colher 57,3 milhões de hectares em 2015, 1,7% maior do que a de 2014, quando totalizou 56,3 milhões de hectares. A projeção é 0,2% superior à estimada em fevereiro, com o acréscimo de 121,4 mil hectares.

Arroz, milho e soja, os três principais produtos da safra, somam 91,6% da estimativa da produção e respondem por 85,5% da área a ser colhida. A área de soja cresce 4,3% em relação a 2014, enquanto a de arroz diminui 3,2% e a de milho recua 0,4%. Quanto à produção, é esperado um aumento de 0,9% para o arroz e de 9,7% para a soja, mas deve haver diminuição de 3,7% para o milho.

Conab – Já a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que adota outra metodologia, revisou para cima sua estimativa de produção de grãos no Brasil na safra 2014/15 para 200,68 milhões de toneladas. Foi a primeira alta da previsão após reduções nos dois últimos relatórios da companhia. Na pesquisa anterior, o sexto levantamento, de março, a safra estava projetada em 198,54 milhões de toneladas, representando elevação de 1,1%. O resultado também corresponde a um aumento de 3,6%, ou 7,06 milhões de toneladas, em comparação à safra 2013/14, que foi de 193,62 milhões de toneladas.

Conforme a Conab, a soja é o destaque da sétima pesquisa, com a colheita em pleno andamento. “Mesmo enfrentando problemas climáticos em janeiro, que influenciaram a expectativa de produtividade em Minas Gerais, Goiás, no Maranhão e Pará, o incremento deve ser de 9,5% ou o equivalente a 8,2 milhões de toneladas, levando a uma produção de 94,28 milhões de toneladas”, informa a estatal.

O milho primeira safra teve uma redução de 4,3%, para 30,39 milhões de toneladas, ou 1,36 milhão de toneladas a menos do que na safra anterior, que foi de 31,65 milhões de toneladas. No entanto, a segunda safra deve crescer 0,6%, para 48,69 milhões de toneladas. Com isso, a produção total do cereal em 2014/15 deve alcançar 78,99 milhões de toneladas, queda de 1,3% ante 80,05 milhões de toneladas no período anterior.

Metodologia – Além dos tipos de grãos pesquisados, as estimativas da Conab e do IBGE diferem em termos de metodologia, critérios para a amostragem e época do levantamento. Enquanto a Conab trabalha com ano-safra (de abril a março do ano seguinte), o IBGE usa anos-civis (de janeiro a dezembro).

Jornal Midiamax