Cotidiano / Economia

Governo assina pacto que deve garantir agilidade na comerciallização da carne bovina

Objetivo é diminuir a capacidade ociosa dos frigoríficos

Kemila Pellin Publicado em 25/08/2015, às 16h23

None
1415989246873.jpg

Objetivo é diminuir a capacidade ociosa dos frigoríficos

O Governo do Estado de Mato Grosso do Sul lançou nesta terça-feira (25) o pacto Sinal Verde, que deve garantir a produção de qualidade e a agilidade na comercialização da carne bovina produzida no Estado. O objetivo é aumentar a produção e a exportação e diminuir a capacidade ociosa dos frigoríficos de MS, que atualmente é de 27%, segundo dados do departamento de economia da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul).

A assinatura do acordo entre entidades do setor contou com apoio do JBS. Segundo o governador Reinaldo Azambuja a partir da assinatura do pacto se inicia uma fase de estudos aprofundados sobre o manejo ideal para a criação de gado no Estado, estratégias logísticas, maior monitoramento sanitário, com o objetivo de fidelizar e abrir novos mercados.

O Norte de Mato Grosso do Sul, conhecido por produzir a melhor carne bovina do Estado, será contemplado pelo projeto, devido o alto potencial de rentabilidade frigorífica dos animais criados na região. “A região tem papel fundamental no pacto Sinal Verde. Conhecida por produzir o melhor bezerro de qualidade, poderá estimular a produção precoce dos animais, atendendo mais rapidamente o mercado, com a qualidade esperada pelo consumidor final. E com maior volume, será possível impactar até na queda do preço da proteína vermelha, tanto no mercado interno quanto externo”, detalha o representante da região Norte do Estado e prefeito de Figueirão, Rogério Rosalin, único município representado na reunião.

Além das questões mercadológicas o pacto Sinal Verde envolverá as entidades que contribuirão para o monitoramento de ações sustentáveis, como a adesão do Cadastro Ambiental Rural (CAR), instituído pelo Código Florestal em vigor.

A Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrisul), Embrapa Gado de Corte, os produtores rurais do Novilho Precoce, além das entidades já citadas, integram o grupo de trabalho do pacto.

Jornal Midiamax