Cotidiano / Economia

Famílias campo-grandenses estão comprando menos em novembro

Intenção de consumo no mês é a menor do ano

Midiamax Publicado em 20/11/2015, às 22h26

None
_mg_3465_interna.jpg

Intenção de consumo no mês é a menor do ano

Com a crise econômica, as famílias de Campo Grande estão comprando cada vez menos. A pesquisa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), divulgada hoje (20) aponta que em novembro, o índice de ICF (Intenção de Compras das Famílias) registrou 76,3 pontos, o pior resultado do ano.

Desde julho, o indicativo está abaixo de 100 pontos e é considerado preocupante para a economia do Estado. Em outubro, o registro era de 82,3 pontos, e em setembro 89,6 pontos.

Essa não é a primeira pesquisa pessimista quanto as compras do fim de ano. O IPF-MS (Instituto de Pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), Sebrae/MS, Universidade Anhanguera-Uniderp e Fundação Manoel de Barros, divulgado no dia 16, apontou que o Natal deverá movimentar R$ 174,8 milhões em presentes, 18,6% a menos que o estimado no ano passado. A maioria dos consumidores vão gastar em média R$135,00 por presente, sendo que no ano passado era R$ 156,00.

“Se ampliarmos o cenário, temos a Pesquisa de Natal e 13º Salário afirmando que 29% dos campo-grandenses vão pagar contas em atraso (cheque especial, cartão de crédito, negativação de crédito). São pessoas que voltarão a consumir”, disse presidente do Sistema Fecomércio MS, Edison Araújo.

Sobre o índice

O ICF é calculado empesquisa mensal de sondagem da condição de vida (trabalho, renda e consumo) das famílias, a fim de antecipar o comportamento das vendas do comércio. Ele é formado por itens como, mercado de trabalho (emprego e renda), consumo (crédito e bens duráveis) e expectativas (perspectiva profissional e de consumo).

O índice e seus componentes variam de 0 a 200 pontos. Resultados acima de 100 pontos refletem uma perspectiva otimista da média das famílias.

Jornal Midiamax