Cotidiano / Economia

Em menos de um mês, etanol fica R$ 0,20 mais caro em Campo Grande

Alta é maior do que a da gasolina e do diesel

Kemila Pellin Publicado em 15/10/2015, às 19h50

None
_mg_3726_interna_2.jpg

Alta é maior do que a da gasolina e do diesel

Entre 13 de setembro e 10 de outubro o preço médio do etanol ficou R$ 0,26 mais caro em Campo Grande, pulando de R$ 2,06 para R$ 2,26, enquanto a gasolina, que sofreu reajuste de 6% no último dia 29, ficou em média R$ 0,16 mais caro, e diesel, que também teve o valor reajustado em 4%, subiu R$ 0,7. Os números fazem parte do balanço semanal realizado pela a ANP (Agência Nacional do Petróleo).

No comparativo nacional o etanol também liderou os reajustes, ficando em média, R$ 0,19 mais caro. O litro do diesel teve alta de R$ 0,10 e o da gasolina aumentou R$ 0,17.

No início do mês o Jornal Midiamax divulgou reportagem relatando o aumento nos postos da cidade, que entre os dias 1º e 5 de outubro, semana seguinte ao anúncio do reajuste da gasolina e do diesel, o etanol também havia subido cerca de R$ 0,15. Na época, o Sinpetro (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência de Mato Grosso do Sul), explicou que não havia um fator determinante, para o reajuste no preço do álcool, sendo motivado, única e exclusivamente pelo mercado.Em menos de um mês, etanol fica R$ 0,20 mais caro em Campo Grande

Nesta semana o economista e professor da UnB (Universidade de Brasília) Newton Marques explicou deu entrevista a Agência CNT, explicando que a variação do preço do álcool pode ser motivada pelo aumento da demanda, decorrente do encarecimento da gasolina, e também pela alta do dólar, que leva muitos produtores de cana a optarem pela produção de açúcar, em vez do etanol. “Mesmo que não haja mudança do preço do produto no mercado internacional, a desvalorização cambial aumenta retorno ao exportador. Assim, ele rapidamente muda a planta, deixando de produzir álcool para produzir açúcar”, explica. Isso reduz a oferta e, consequentemente, eleva o preço do combustível. 

Ainda conforme a ANP, o litro do etanol mais caro está em Rondônia, a R$ 3,05; o mais barato, no Mato Grosso, onde custa, em média, R$ 1,89. O maior preço médio estadual da gasolina é no Acre, a R$ 3,93; o menor, na Paraíba, R$ 3,26. Já o diesel comum mais barato é encontrado em postos do Maranhão, a R$ 2,82; o mais caro, no Amapá, a R$ 3,17.

Jornal Midiamax