Cotidiano / Economia

Dólar cai mais de 1% e atinge menor valor em quase um mês, a R$ 2,637

É o menor valor de fechamento desde 10 de dezembro do ano passado.

Clayton Neves Publicado em 13/01/2015, às 20h36

None
uol-dolar-cambio.jpg

É o menor valor de fechamento desde 10 de dezembro do ano passado.

O dólar comercial fechou em queda de 1,17% nesta terça-feira (13), cotado a R$ 2,637 na venda. É o menor valor de fechamento desde 10 de dezembro do ano passado, quando a moeda norte-americana valia R$ 2,613. 

Na véspera, o dólar havia subido 1,11%. 

Investidores receberam bem as declarações do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, de que o objetivo do governo deve ser estabilizar a dívida bruta em relação ao PIB (Produto Interno Bruto), em busca de um aumento na nota de crédito do país.

O ideal, a longo prazo, segundo Levy, é que a dívida chegue a 50% do PIB; antes disso, no entanto, o desafio é estabilizar o indicador e fazer com que essa proporção pare de subir.

Um aumento da nota do Brasil poderia atrair para cá mais investimentos e, consequentemente, mais dólares. Quanto maior a oferta da moeda, menor tende a ser sua cotação.

O otimismo era contido, no entanto, pela contínua baixa do preço do petróleo no mundo. A queda da cotação da commodity preocupa investidores, fazendo com que eles invistam em negócios mais seguros em vez de procurar maiores rendimentos em países como o Brasil.

Atuação no mercado de câmbio

Também no contexto nacional, o Banco Central manteve seu programa de intervenções, mas agora com metade da oferta. O programa oferece contratos de swap cambial, que equivalem à venda de dólares no mercado futuro.

Foram vendidos 2.000 contratos: 500 para 1º de setembro e os outros 1.500 para 1º de dezembro deste ano. 

O BC também realizou mais um leilão para rolar os contratos que vencem em 2 de fevereiro. Foram vendidos 10 mil: 5.750 com vencimento em 3 de novembro de 2015 e os outros 4.250 para 1º de fevereiro de 2016.

A operação movimentou o equivalente a US$ 490,4 milhões. Ao todo, o BC já rolou o equivalente a US$ 3,914 bilhões, ou cerca de 38% do lote total, correspondente a US$ 10,405 bilhões. 

Jornal Midiamax