Cotidiano / Economia

Conta de energia elétrica já está 3,2% mais cara em Mato Grosso do Sul

Revisão tarifária foi estabelecida na manhã desta terça

Isaias Domingues Publicado em 08/04/2015, às 16h11

None
energisa.jpg

Revisão tarifária foi estabelecida na manhã desta terça

A conta de energia elétrica está em média 3,22% mais cara a partir de quarta-feira (8) para os clientes da Energisa em Mato Grosso do Sul. A revisão tarifária foi estabelecida na manhã desta terça-feira (7) pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Segundo os dados da Aneel, os consumidores residenciais passam a pagar 3,02% a mais na conta de luz a partir desta quarta. Para clientes de alta tensão o aumento é de 3,64%, daí a média aplicada de 3,22%.

Para este cálculo de reajuste, a Aneel diz ter levado em consideração a variação de gastos que a empresa teve no ano. “O cálculo inclui custos típicos da atividade de distribuição, sobre os quais incide o IGP-M, e outros custos que não acompanham necessariamente o índice inflacionário, como energia comprada, encargos de transmissão e setoriais”, traz explicação publicada no site da agência.

Este reajuste soma-se a outro, aplicado no começo do ano e chamado de revisão extraordinária. O governo cortou subsídios do setor, o que resultou em um tarifaço de 27,9% aos consumidores em Mato Grosso do Sul.

Além disso, tem ainda a bandeira tarifária, que varia mês a mês conforme o custo da produção de energia elétrica. Atualmente, o contribuinte paga R$ 5,50 a mais por cada quilowatt/hora.

A Energisa é responsável pelo fornecimento de energia elétrica para 942 mil unidades consumidoras em 73 municípios de Mato Grosso do Sul. Os valores do reajuste definidos pela Aneel passam a valer a partir de 8 de abril. A reunião da Aneel foi acompanhada pelo deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB).

Ao contrário do que ocorreu em Mato Grosso do Sul, os mato-grossenses tiveram redução no valor da conta de luz. A Aneel aplicou queda de 2,22% na tarifa para os clientes da Energisa no Estado vizinho onde, na média, a energia elétrica ficou 0,38% mais barata.

Jornal Midiamax