Capacidade instalada da indústria atinge menor nível da série histórica

A produção industrial e o número de empregados continuam em trajetória de queda
| 21/07/2015
- 18:34
Capacidade instalada da indústria atinge menor nível da série histórica

A produção industrial e o número de empregados continuam em trajetória de queda

A produção industrial e o número de empregados continuam em trajetória de queda e a indústria fecha o primeiro semestre pior do que começou. A pesquisa Sondagem Industrial, divulgada nesta terça-feira (21), pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), mostra que a Utilização da Capacidade Instalada (UCI) alcançou 65% em junho, o menor percentual desde janeiro de 2011, quando teve início a série histórica.

Mesmo com a redução da produção, em queda desde novembro de 2014, e da UCI confirmarem a elevada ociosidade da indústria, os estoques estão cada vez maiores.

A carga tributária elevada, a demanda interna insuficiente e a falta ou alto custo da energia elétrica foram os três principais problemas enfrentados pela indústria no segundo trimestre. Os empresários esperam piora do quadro nos próximos meses e a intenção de investimentos bate recorde negativo.O índice, que varia de 0 a 100 pontos e quanto mais elevado maior é a intenção dos empresários para investir, caiu para 41,3 pontos em julho. 

Além da demanda, os empresários estão cada vez mais pessimistas em relação à compra de matéria-prima e ao número de empregados. Os setores mais afetados nesse ponto são os fabricantes de borracha, as empresas do setor de impressão e reprodução e os fabricantes de móveis. No outro extremo estão as indústrias farmacêuticas, as de extração de minerais metálicos e de limpeza e perfumaria.

A queda da produção em junho foi mais intensa do que no mês anterior. O índice de produção continuou abaixo dos 50 pontos e alcançou 40,3 pontos em junho, 1,4 ponto inferior ao observado no mês de maio. O índice de número de empregados foi de 40,7 pontos, 0,7 ponto a menos que em maio. Os dois indicadores variam de zero a 100 pontos. Abaixo de 50, indicam queda na produção e no emprego na comparação com o mês anterior. A última vez que o indicador de produção ficou acima dos 50 pontos foi em outubro de 2014. Já o emprego está em queda desde março do ano passado, quando o índice se afastou da linha divisória de 50 pontos.

A Sondagem Industrial foi feita entre 1 e 13 de julho com 2.344 empresas, das quais 967 são pequenas, 834 são médias e 543 de grande porte.

Veja também

Afinal, o PIS de 2021 deve ser depositado em 2022 ou ficará só para 2023?

Últimas notícias