Cotidiano / Economia

Balança da China em dezembro é mais forte do que o esperado

Demanda dos EUA ajudou a compensar a fraqueza na Europa e no Japão

Gerciane Alves Publicado em 13/01/2015, às 11h55

None

Demanda dos EUA ajudou a compensar a fraqueza na Europa e no Japão

Os dados comerciais de dezembro da China superaram as expectativas, uma vez que a demanda dos Estados Unidos ajudou a compensar a fraqueza na Europa e no Japão enquanto as barganhas chinesas nos mercados de commodities ajudaram a colocar um piso nas importações em queda.

A China registrou um superávit comercial de 49,6 bilhões de dólares no mês, menor do que o recorde de novembro de 54,5 bilhões de dólares.

Embora as exportações tenham crescido mais rápido e as importações encolhido menos do que o previsto, autoridades alertaram para mais obstáculos no primeiro trimestre.

As exportações em dezembro avançaram 9,7% ante o ano anterior em termos denominados em dólar, mostraram nesta terça-feira (13) dados da Administração Geral de Alfândega, superando a expectativa em pesquisa da Reuters de alta de 6,8%.

As importações caíram apenas 2,4%, sendo que analistas esperavam um declínio de 7,4%.

Autoridades mostraram-se cautelosas ao discutir sobre o momento positivo do comércio.

“Achamos que os fatores negativos que afetaram o desempenho do comércio em 2014 serão mantidos por um tempo”, disse Zheng Yuesheng, porta-voz do escritório de alfândega da China.

Zheng referia-se a fatores como recuperação fraca na economia mundial, queda do investimento direto na indústria chinesa e alta dos custos de produção doméstica.

A queda menor nas importações do que em novembro deveu-se amplamente a uma retomada nas compras de commodities, e Zheng destacou que o recuo nos preços foi um benefício para o país ao reduzir os custos de importação.

Minério de ferro

As importações de minério de ferro da China bateram um novo recorde em 2014, saltando 13,8% para 932,5 milhões de toneladas, mostraram dados divulgados nesta terça-feira, conforme remessas de baixo custo de mineradoras globais inundaram o maior mercado consumidor do mundo.

Em dezembro, os embarques de minério de ferro avançaram 29% em relação ao mês anterior, a um recorde de 86,85 milhões de toneladas, de acordo com dados da autoridade aduaneira da China, com as siderúrgicas repondo estoques na temporada de inverno no hemisfério norte.

Com grandes mineradoras de minério de ferro se atendo a seus planos de expansão, uma oferta crescente tem reduzido os preços para a commodity que é matéria-prima do aço, em um momento em que a desaceleração do crescimento econômico na China está levando a um crescimento mais lento da demanda por commodities.

O recuo nos preços forçou algumas mineradoras chinesas de alto custo a encerrar atividades e incentivou as siderúrgicas chinesas a aumentar as importações, dizem os analistas, provavelmente levando ao aumento das importações.

“Os recursos de minério de ferro de baixo custo no exterior levaram a crescentes importações e pressionaram as mineradoras domésticas de alto custo a fechar, e essa tendência vai continuar este ano”, disse Li Wenjing, analista da Industrial Futures em Xangai.

O índice de referência do minério de ferro para entrega imediata ao porto Tianjin na China caiu 47 por cento no ano passado, para abaixo de 70 dólares a tonelada, no menor nível desde junho de 2009, de acordo com o The Steel Index.

Enquanto isso, as exportações de aço da China cresceram 50,5 por cento em 2014 sobre um ano antes, para 93,78 milhões de toneladas. Os embarques atingiram um novo recorde de 10,17 milhões de toneladas em dezembro, um aumento de 5 por cento em relação ao mês anterior, mostraram os dados.

Jornal Midiamax