Cotidiano / Economia

Abertura de empresas cresce, mas números estão aquém do esperado

Mesmo com crescimento, o índice de confiabilidade dos empresários é o segundo pior do Brasil 

Thatiana Melo Publicado em 09/04/2015, às 14h33

None
abertura_empresa.jpg

Mesmo com crescimento, o índice de confiabilidade dos empresários é o segundo pior do Brasil 

Pesquisa feita pela Junta Comercial de Campo Grande apontou um crescimento de 35% de empresas em março deste ano, comparado a março de 2014, em Mato Grosso do Sul. Mas, segundo análise do economista Thales Campos, os números ainda estão aquém do esperado “Neste ano o nível de confiança do empresário é o segundo pior do Brasil perdendo só para o Rio Grande do Sul“, fala o economista.

Os números são da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), que ainda apontou que pela primeira vez o índice está abaixo de 100%. Em março deste ano 653 empresas foram constituídas, contra 482 no ano passado.Já a comparação com o primeiro trimestre  do ano ano passado 1.714 empresas foram constituídas, contra 1.568 em 2015.

“Este primeiro trimestre está muito aquém do esperado, mas tudo isto é reflexo da economia que o país está passando”, explica Thales que vai além e afirma que este ano será de cautela para o empresário e por consequência menos postos de trabalho serão abertos.

E apesar da análise feita desde 2013 o número de empresas extintas vem diminuindo, segundo dados divulgados pela Junta Comercial. Em 2013 2.499 empresas foram extintas, já em 2014 o número caiu para 1.668 e nos três primeiros meses deste ano 516 empresas já foram extintas.

“Este é um ano normal, não tem eleição, grandes eventos, portanto, será um ano de estudos pelos empreendedores”, finaliza o economista. 

Jornal Midiamax