Cotidiano / Economia

Contra crise, governo reduzirá imposto para incentivar consumo

Medidas valem a partir de hoje até março de 2012

Arquivo Publicado em 01/12/2011, às 12h24

None

Medidas valem a partir de hoje até março de 2012

As medidas de estímulo à economia incluem de redução de imposto na linha branca, diminuição do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e medidas na construção civil e no mercado de capitais, afirmou há pouco o ministro da Fazenda, Guido Mantega.


Mantega anunciou que o IOF no financiamento ao consumo cairá de 3% para 2,5%. Vale lembrar que em abril deste ano, a Fazenda dobrou a alíquota do IOF, de 1,5% para 3%, como parte do esforço para moderar o consumo, na época muito aquecido. As medidas valem a partir de hoje atémarço de 2012.


O IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) da linha branca será reduzido. O ministro citou alguns exemplos: no folgão cairá de 4% para zero, na geladeira de 15% para 5%, na máquina de lavar de 20% para 10% e no tanquinho, de 10% para zero.


Na construção civil, as habitações populares do programa “Minha Casa Minha Vida” terão desoneração. No mercado de capitais, o investimento em ações para estrangeiros terá redução do IOF de 2% para zero.


Segundo o ministro, o governo não deixará que a crise contamine o Brasil. “Nos preparamos para alta do PIB de 5%em 2012. Esta é a nossa meta”, disse. O Governo quer continuar estimulando o investimento.


O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Fernando Pimentel e Mantega chegaram pouco depois das 10 horas para a coletiva de imprensa.

Jornal Midiamax