Cotidiano / Consumidor

Casa de carnes chique é autuada por induzir consumidor a erro e vender carne vencida

Estabelecimento especializado na venda de cortes finos de carne, localizada na avenida Mato Grosso, em Campo Grande, foi autuada pelo Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) após a fiscalização encontrar diversas irregularidades, como informações imprecisas sobre os produtos e até carne com validade vencida. A fiscalização, que ocorreu em conjunto com...

Guilherme Cavalcante Publicado em 22/03/2019, às 10h46 - Atualizado em 23/03/2019, às 09h39

(Foto: Divulgação | Procon-MS)
(Foto: Divulgação | Procon-MS) - (Foto: Divulgação | Procon-MS)

Estabelecimento especializado na venda de cortes finos de carne, localizada na avenida Mato Grosso, em Campo Grande, foi autuada pelo Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) após a fiscalização encontrar diversas irregularidades, como informações imprecisas sobre os produtos e até carne com validade vencida.

A fiscalização, que ocorreu em conjunto com a Decon (Delegacia do Consumidor) e com a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), identificou que alguns cortes de carne seriam de animais das melhores raças, entre as quais estão a hereford, angus, charolesa, simental ou wangyu.

Todavia, de acordo com o Iagro, não há certificação que possa dar autenticidade à informação. Assim, apesar da identificação das embalagens, consumidores poderiam ser induzidos a erro, já que não havia, conforme a equipe documentos certificatórios que comprovassem a legitimidade dos cortes.

De acordo com o Procon, durante a fiscalização, foi identificada a existência do código RS2, que se refeririria a cortes da raça Angus. No entanto, na maioria das etiquetas de identificação consta “Brangus”.

Carne vencida

Além do problema relacionado à identificação das raças bovinas, o Procon-MS também identificou aproximadamente 12 quilos de cortes diversos com prazo de validade expirada. Além disso, cerca de 14 kg de carne identificada como “embalada à vácuo” não teriam sido devidamente empacotadas desta maneira.

O Procon-MS destaca, ainda, a existência de produtos com embalagens violadas, sem informação quanto a validade e procedência ou a informações ilegíveis. Além das carnes, o Procon-MS também descartou outros produtos, como cerveja, farofa pronta e sucos, que estariam impróprios para consumo.

Jornal Midiamax