Cotidiano / Consumidor

Entidade divulga caminhos para o consumidor recuperar danos causados por chuvas

Para orientar consumidores sobre problemas gerados em tragédias com as chuvas, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Ibedec) resolveu divulgar dicas para providencias. O conteúdo informativo lembra os cidadãos sobre o levantamento de provas e o registro das reclamações para ressarcimento de prejuízos. As recomendações são divulgadas em um período do ano em que […]

Arquivo Publicado em 28/01/2014, às 22h20

None
1867722572.jpg

Para orientar consumidores sobre problemas gerados em tragédias com as chuvas, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Ibedec) resolveu divulgar dicas para providencias. O conteúdo informativo lembra os cidadãos sobre o levantamento de provas e o registro das reclamações para ressarcimento de prejuízos.


As recomendações são divulgadas em um período do ano em que várias localidades do País sofrem com temporais. Confira os procedimentos para o cidadão que teve qualquer bem atingido por alagamentos em vias públicas:


• Tirar fotos ou fazer filmagem com o celular mesmo, dos danos ocorridos e do local onde ocorreu;


• Guarde Recortes e Noticiários de jornal sobre o alagamento;


• Pesquise na internet notícias de alagamentos ocorridos nos anos anteriores para fazer prova de que o problema era conhecido;


• Consiga o Boletim Meteorológico para a região na internet;


• Registre um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia;


• Faça um levantamento dos danos e três orçamentos para o reparo;


• Anote nome e endereço de testemunhas;


Neste caso o Estado pode responder pelo dano causado ao cidadão, em virtude de uma possível omissão em realizar a manutenção do bem público ou obras que seriam de sua competência. O mesmo não vale, por exemplo, quanto a garagens de prédio inundadas, em que a responsabilidade tem como ser atribuída ao condomínio, principalmente se houver uma previsão disso na convenção estatutária do local. 


O consumidor atingido por este problema deve se orientar da seguinte maneira conforme o Ibedec:


Arquivamento de fotos ou filmagens dos danos ocorridos e do local onde do fato;


• Registre um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia;


• Faça um levantamento dos danos e três orçamentos para o reparo;


• Anote nome e endereço de testemunhas;


• Acione a seguradora do veículo, caso tenha, e aguarde uma resposta em até 30 (trinta) dias sobre a cobertura ou não dos danos.


A cartilha lembra também que em caso de apagões o cidadão é amparado pela lei para solicitar indenizações quanto a prejuízos originados na interrupção da energia. Para protocolar o pedido na concessionária o consumidor precisa reunir evidências que justifiquem a queixa, entre elas a nota fiscal de produtos, arquivos de Imprensa que comprovem a suspensão do serviço e o  inventário das perdas.


A entidade lembra que o consumidor além de comunicar o órgão responsável pelo dano também deve registrar o problema nas agências reguladoras e no Procon.

Jornal Midiamax