Cotidiano / Consumidor

Dourados: Procon orienta como pagar contas durante greve dos bancários

Cerca de 80% das agências bancárias de Dourados e região foram fechadas por causa da greve iniciada nesta terça-feira, em todo país. Por teste motivo o Procon (Programa de Orientação e Proteção ao Consumidor) da cidade recomenda que o consumidor deva procurar com antecedência outras opções para pagamentos de contas. “Existem várias maneiras para se […]

Arquivo Publicado em 19/09/2012, às 19h23

None
552624416.jpg

Cerca de 80% das agências bancárias de Dourados e região foram fechadas por causa da greve iniciada nesta terça-feira, em todo país. Por teste motivo o Procon (Programa de Orientação e Proteção ao Consumidor) da cidade recomenda que o consumidor deva procurar com antecedência outras opções para pagamentos de contas.


“Existem várias maneiras para se quitar um débito. Com o atendimento dos bancos interrompido, o cidadão pode procurar os caixas eletrônicos, casas lotéricas, estabelecimentos credenciados ou até mesmo solicitar o débito automático em uma conta bancária”, explicou Rosemar de Mattos, diretor do Procon.


Ele lembra que o consumidor precisa sempre buscar efetuar o pagamento bem antes da data do vencimento, principalmente neste período de paralisação, para evitar filas e outros problemas. “Desta maneira a pessoa consegue se livrar de multas por causa do atraso e caso não consiga quitar, terá tempo de recorrer”, explicou.


De acordo com Rosemar, as empresas credoras são responsáveis pela contratação dos bancos para recebimento de faturas e por isso, devem orientar seus clientes quanto a outras formas de pagamento. Aqueles que não possuem conta bancária, às vezes acabam encontrando mais dificuldades.


“É por isso que volto a dizer que tudo deve ser feito antecipadamente, pois caso o consumidor não consiga a quitação de forma alguma, ele deverá registrar o caso junto ao Procon para que seus direitos sejam garantidos. É preciso que haja uma tentativa; não adianta solicitar a entidade apenas para se livrar dos juros do atraso”, observou.

Jornal Midiamax