O Corpo de Bombeiros de Aquidauana registrou nesta semana mais de 15 ocorrências de incêndio em vegetação, tanto na área urbana quanto na rural, o que gera o alerta de riscos, já que, com a vegetação seca, umidade relativa do ar baixa, temperatura alta e ventos neste período, são fatores que colaboram para o fogo se propagar.

Os dias secos de junho têm garantido em várias cidades de Mato Grosso do Sul índices de umidade relativa do ar na casa dos 20%. Condição que prejudica a saúde das pessoas e o meio ambiente. Como consequência, essa época do ano é considerada a mais crítica devido ao período de estiagem e a baixa umidade do ar associada ao calor intenso. Por isso, o Corpo de Bombeiros alerta a população sobre os riscos das queimadas urbanas e suas consequências.

Segundo o comandante do 1º Subgrupamento do Corpo de Bombeiros, responsável por Aquidauana, Anastácio e Miranda, capitão Carlos Antônio Saldanha da Costa, a causa mais frequente dos focos de incêndio em áreas urbanas é a ação humana. Ou seja, as pessoas ainda têm o costume de utilizar o fogo para promover a limpeza de terrenos e pastagens, para promover a queima da alta vegetação ou de amontoados de lixos.

E isso tem preocupado as equipes de serviço na região, já que todos os dias, chamados de foco de incêndio em área urbana tem sido recebido pelo 193. “A população precisa ter atenção especial no trato do lixo, não queimando resíduos em terrenos baldios, não descartando resíduos em lugares de vegetação, principalmente objetos de alta inflamabilidade, como lançar pontas de cigarro pela janela do carro. A medida mais eficaz contra os incêndios é a prevenção”, alerta o comandante.

Atear fogo é crime

O uso de fogo é crime previsto em lei e prevê sanções penais e administrativas para quem comete condutas e atividades lesivas ao meio ambiente. Provocar incêndio em mata ou floresta pode dar prisão de dois a quatro anos, além de multa, diz a legislação.

Casos de ocorrência de fogo em terrenos sem autorização ambiental e com autor conhecido, também podem ser denunciados ao Batalhão de Polícia Militar Ambiental (PMA) de Aquidauana, pelo telefone (67) 3904-2070. Porém, em casos de incêndio, a primeira atitude é ligar para o Corpo de Bombeiros, no 193.