“Aqui é roupa no varal com terra, varanda com terra, carro com terra, quintal com terra”. É assim que se sente a professora Neiva Valadares, de 54 anos, desde novembro de 2022, quando passou a realmente sonhar com o asfalto na frente de casa, no Jardim Oliveira I, em Campo Grande. No entanto, o “pacote” incluiu aguentar uma sequência de atrasos nas obras e mais: ver o maquinário transitando na frente de casa o tempo todo, jogando poeira portão adentro, mesmo com a própria rua já pavimentada.

“Esse processo da pavimentação começou no final de novembro de 2022. Foi uma época bem complicada, porque eram transtornos na veerdade. No meu portão era um monte de terra e não tinha nem como sair de casa. No dia no natal, não tinha como sair, precisei ir de moto porque fizeram valetas e, no início de 2023, começaram a cavucar ruas, eram buracos enormes feitos com as escavadeiras”, relembrou Neiva.

Em seguida, ainda conforme a professora, começou o período chuvoso. “Ficou um tempo assim com terra, lama, deixando a rua toda irregular. O carro atolava e aí depois a obra paralisou e continuamos na mesma, durante todo o ano. Eu moro em uma casa de esquina e tem uma área grande na frente, em que supostamente a prefeitura fica usando, então, é transtorno o tempo todo na frente da minha casa, com caminhão descarregando o tempo”, lamentou.

Mesmo com o asfalto feito na frente de casa, Neiva diz que as obras no Jardim Oliveira II começaram e continuam usando o mesmo espaço para o vai e vem de caminhões. “Cavucaram tudo e deixaram um mês parado. Isso sem falar que retiraram duas árvores que eu tinha plantado, não me comunicaram nada. Cheguei e não tinha mais nada, daí retomaram a pavimentação no bairro e o material continua vindo para frente da minha casa, então, é um transtorno absurdo o tempo todo. E parece não ter fim, é muito triste o que a tgente está passando”, disse.

Confirma o vídeo enviado pela moradora:

Extensão da drenagem e pavimentação no bairro

Em janeiro deste ano, a prefeitura municipal anunciou mais trechos de ruas do Jardim Oliveira. Na ocasião, foi anunciada a a pavimentação e drenagem da Rua Fidelo Mariano de Almeida, no trecho entre a Rua José Garcia Lopes Filho até o Bosque Camburé.

O anúncio também disse que o sistema de drenagem passaria também pelo Bosque até interligar com outro trecho da Rua Fidelo Mariano de Almeida, via que está no projeto de drenagem e pavimentação em execução.

Com mais essa obra, o quadrilátero em torno do bosque ganha asfalto e drenagem, se somando as outras obras já em execução no bairro.

Ao todo, os moradores foram contemplados com obras de pavimento e drenagem em dezenas de ruas. O asfalto e drenagem já estão em execução em 32 ruas do Jardim Oliveira, 16 ruas dos bairros Jardim Oliveira 1 e 2 e o total de 16 ruas no Jardim Oliveira 3, totalizando de 5,25 km de pavimentação e 1,35 km de drenagem.

Em maio, com a reclamação dos moradores, o Midiamax entrou em contato com a Sisep sobre a poeira na região. Confira a resposta:

“A Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos ressalta que, infelizmente, em obras de drenagem ocorrem alguns transtornos por conta da necessidade de abertura de valas para a colocação dos tubos, pela complexidade da obra, não havendo outro modo de acessar o local para a intervenção. Porém, a Sisep orienta as empresas que haja uma organização a fim de que executem esse tipo de obra de modo que no final da tarde sejam desobstruídas as entradas das garagens. A Secretaria também exige que as empreiteiras cumpram com as regras de segurança no trabalho e forneçam os equipamentos de segurança aos seus funcionários.”

Fale com o Midiamax

Tem alguma denúncia, flagrante, reclamação ou sugestão de pauta para o Jornal Midiamax? Envie direto para nossos jornalistas pelo WhatsApp (67) 99207-4330. Acima de tudo, com sigilo garantido por lei.

Acompanhe nossas atualizações no Facebook, Instagram e Tiktok.