Mães de assentamento em Nioaque vivem drama ao mandar seus filhos para a escola por conta da precariedade do ônibus escolar disponibilizado pela prefeitura do município. Cerca de 25 alunos dependem do transporte que não tem freio e anda com as portas abertas.

“Fico com medo. Não sinto segurança nenhuma em mandar eles em um ônibus que não tem freio e a porta não funciona; que não tem segurança nenhuma. Fora a incerteza de que chegarão bem na escola ou se vão vir bem pra casa; se o ônibus vai consegui chegar no destino certo”, relata a mãe ao Jornal Midiamax.

“É o mesmo ônibus que vivem denunciando e nada é feito. Desde o ano passado estamos com esse problema”, diz. Os pais, mães e responsáveis pelos alunos já fizeram abaixo-assinado para retirar o ônibus de circulação. “Hoje entramos em contato com Conselho Tutelar por conta das faltas e do perigo do ônibus”, conta.

Ao Jornal Midiamax, o prefeito de Nioaque, Valdir de Souza Júnior, informou que a linha que está apresentando problemas já tem duas notificações e a próxima representa o distrato com a empresa. Entretanto, não informou quando isso deve acontecer.

“Temos mais de 30 linhas para atender os 10 assentamentos, 4 aldeias indígenas, uma dessas linhas está apresentando problemas e já representamos duas notificações contra a empresa terceirizada responsável e a próxima notificação é distrato com a empresa”, ressalta.

Fale com o Midiamax

Tem alguma denúncia, flagrante, reclamação ou sugestão de pauta para o Jornal Midiamax? Envie direto para nossos jornalistas pelo WhatsApp (67) 99207-4330. Acima de tudo, com sigilo garantido por lei.

Acompanhe nossas atualizações no Facebook, Instagram e Tiktok.