O Carnaval já começou com os tradicionais bloquinhos de rua em Campo Grande! Com a chegada da , nota-se um aumento no número de ocorrências de assédio e importunação sexual contra mulheres que tentam curtir a festa. Muitas vezes, o que é para ser um dia de festa se torna um dia terrível.

Mas, você sabe a diferença entre o assédio e a importunação sexual? A delegada titular da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), em Campo Grande, Elaine Benicasa, esclareceu o assunto. 

Em ambos os crimes, existe a prática de atos sexuais do autor para com a vítima. No caso de assédio sexual é importante ter uma relação de subordinação hierárquica ou ascendência entre o autor e a vítima, conforme a delegada.

“Os exemplos mais comuns são de chefes de departamentos, diretores, professores, padres, pastores, há uma relação profissional hierárquica clerical ou até mesmo acadêmica entre as partes envolvidas”, explica. 

Já no crime de importunação sexual não há necessidade de ter subordinação hierárquica ou ascendência entre autor e vítima, segundo a delegada. “A importunação sexual acontece mediante ações muito comuns nesses períodos festivos, como passada de mão nas partes íntimas, beijos roubados e forçados, abordagens insistentes sem o seu consentimento”.

Dicas para aproveitar a folia com segurança

Para aproveitar o período festivo com maior tranquilidade, é importante tomar alguns cuidados. Entre as dicas da delegada estão curtir a festa próximo de agentes de segurança ou de conhecidos e lembrar que qualquer abordagem insistente sem o seu consentimento não é paquera. 

“Transite pelos locais acompanhada; caso você precise fazer o uso do motorista de aplicativo, vá igualmente acompanhada; na impossibilidade, compartilhe essa viagem com algum conhecido; se precisar ir ao banheiro ou por qualquer outro motivo se descuidar do seu copo, dispense essa bebida, não dê chance ao criminoso sexual. E lembre-se, beijo roubado, mão em suas partes íntimas e abordagem insistente sem o seu consentimento não é paquera. Não é não! E fantasia não é convite”, reforça. 

Em caso de vítima de assédio ou importunação sexual, é importante procurar ajuda. “Temos o canal 180 para denúncias anônimas, como também o site do Tribunal de Justiça e o da delegacia virtual da Polícia Civil”, conclui a delegada.

Equipes da Polícia Civil estão reforçando a segurança em todo o estado de Mato Grosso do Sul. A , que funciona dentro da Casa da Mulher Brasileira, atende 24 horas por dia, contando com um setor psicossocial para atendimento de todas as vítimas.

Saiba Mais