Com ônibus do transporte escolar em situação que preocupa mães, pais e responsáveis por alunos na zona rural de Nioaque, a PRF (Polícia Rodoviária Federal), Detran-MS (Departamento de Trânsito de MS) e MPMS (Ministério Público de MS) fiscalizaram os veículos do município.

Segundo a PRF, esta ação conjunta acontece após termo de cooperação entre os órgãos do SNT (Sistema Nacional de Trânsito), com foco nos ônibus escolares dos municípios. A ação conjunta também já aconteceu em Bandeirantes em 2024.

Os representantes dos órgãos se reúnem e decidem qual o município será fiscalizado. O Jornal Midiamax acompanha a situação em Nioaque após uma mãe denunciar a precariedade de um veículo. Cerca de 25 alunos dependem do transporte que não tem freio e anda com as portas abertas.

“Fico com medo. Não sinto segurança nenhuma em mandar eles em um ônibus que não tem freio e a porta não funciona; que não tem segurança nenhuma. Fora a incerteza de que chegarão bem na escola ou se vão vir bem pra casa; se o ônibus vai consegui chegar no destino certo”, relata a mãe ao Jornal Midiamax.

O prefeito de Nioaque, Valdir de Souza Júnior (PSDB), informou que a linha que está apresentando problemas já tem duas notificações e a próxima representa o distrato com a empresa.

Em 2023, o transporte escolar de Nioaque foi alvo do MPMS. Conforme o documento instaurado, uma denúncia dá conta de que os veículos que atendem os alunos na linha Janaína, estariam apresentando irregularidades, estragando com frequência e deixando os alunos sem aula.