Com a campanha contra a poliomielite perto do fim, Aquidauana ainda está longe de atingir a meta de vacinar 95% das crianças com menos de cinco anos de idade, já que, desde o início da campanha, o município chegou a 15% de cobertura vacinal.

Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, das 2.800 crianças de 1 a 5 anos, faixa etária permitida para a vacinação da pólio, apenas 500 foram vacinadas. No último sábado (8), aconteceu o dia “D” de vacinação contra a poliomielite em pontos estratégicos da cidade, porém, apenas 180 crianças foram vacinadas na faixa etária preconizada, registrando a baixa adesão dos pais.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite segue até a próxima sexta-feira (14). Os responsáveis que ainda não levaram os menores de 5 anos de idade para tomar as gotinhas que garantem a proteção contra o vírus têm até essa data para comparecer a uma unidade de saúde do município.

A Secretaria de Saúde alerta que os pais devem procurar as unidades de saúde para levar as crianças para serem vacinadas, para evitar que a doença volte a fazer vítimas. Em Aquidauana, as crianças de 1 a menores de 5 anos podem receber a dose da vacina da Pólio em qualquer unidade de saúde (ESF), tanto nos bairros, quanto nos distritos.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, a ‘Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite’ acontece anualmente nesta época do ano desde a década de 1980. Ela não deve ser considerada excepcional, mas uma forma de reforçar a importância de se manter a cobertura vacinal de 95% das crianças menores de cinco anos em todo o país, para evitar o risco de novos surtos da doença.

Poliomielite

A poliomielite, doença infectocontagiosa aguda, é caracterizada pela contaminação pelo poliovírus que pode causar paralisia muscular dos membros inferiores, de forma assimétrica e irreversível. Em casos graves pode evoluir a óbito, sendo a vacinação a principal forma de prevenção.

Por conta disso, a estratégia de vacinação é fundamental para a redução do risco de reintrodução do poliovírus no Brasil, uma vez que a doença se encontra eliminada no país desde 1994.

Atualmente, o país está em processo de transição para a substituição das duas doses de reforço da vacina oral poliomielite (VOP) para um reforço com vacina inativada poliomielite (VIP). A previsão é de que a medida seja adotada no segundo semestre de 2024.