A plataforma de inteligência turística de Mato Grosso do Sul “Alumia” foi lançada nesta quarta-feira (26), pelo Governo estadual, em evento no Bioparque Pantanal. 

A proposta é que a plataforma subsidie informações para tomada de decisões do setor turístico do Estado, como dados sobre hospedagem, perfil dos turistas (como renda, idade, escolaridade), gasto médio, destinos mais procurados, passagens aéreas, entre outras. 

A Alumia também faz uso de uma Inteligência Artificial, que está em treinamento, para estudar como o turismo estadual está posicionado nas redes sociais, a partir da extração de dados das plataformas. 

O painel pode ser acessado de forma gratuita pelo público em geral e por empresas do setor. São duas áreas dentro da Alumia: uma delas pública, com informações gerais sobre o ramo e que não necessita de cadastro, e outra que se chama “área exclusiva”.

De acordo com a coordenadora do Alumia e gerente do Observatório do Turismo, que fez a apresentação do site no evento, Danielle Cardoso de Moura, a “área exclusiva” contém informações de “big data”, ou seja, possui uma grande base de dados. 

Neste painel será preciso fazer um cadastro prévio, também gratuito, para que o governo consiga saber quem acessa e tem interesse nessas informações. 

Coordenadora da Alumia, Danielle de Moura, explicou que sistema trabalha com big data. (Nathalia Alcântara, Jornal Midiamax)

“A gente precisa ter proximidade com o nosso público, entender quem são essas pessoas que estão fazendo uso da plataforma. A gente quer se aproximar dessas pessoas porque tudo que é novo precisa ter feedback para melhorias dos processos e, inclusive, para avisar que temos dados novos na plataforma”, explicou Danielle de Moura. 

O evento também contou com a presença do diretor-presidente da Fundtur, Bruno Wendling, que explicou que a ideia da plataforma começou há seis anos e que o nome “Alumia” tem referências regionais.

“Iluminar-se, dar a luz, esclarecer. É o que o Alumia vai impulsionar. Esse nome que tiramos do pantaneiro. A gente pesquisou muito em qual nome dar ao nosso sistema. Não queríamos uma plataforma comum […] é um nome poderoso, um nome pantaneiro”, ele explicou.

O diretor-presidente reforçou que o painel poderá subsidiar investimentos para o setor. “A gente tem um grande desafio de transformar esse volume imenso de dados em informações que sejam relevantes para o setor”, ele pontuou.

O coordenador de Informação e Inteligência de Dados da Embratur, Fabio Montanheiro Nascimento, também participou da cerimônia e afirmou que a plataforma lançada nesta quarta em Mato Grosso do Sul se destaca no cenário nacional. 

“Existem outras iniciativas pelo Brasil, mas com essa robustez eu penso que Mato Grosso do Sul sai na frente. A quantidade de dados, o volume de informações que é disponibilizado e facilidade com que você encontra no sistema eu tenho certeza que hoje Mato Grosso do Sul está trazendo referência para os outros estados”, ele explicou. 

O vice-governador Barbosinha também participou da cerimônia e elogiou a plataforma como “inspiradora”. 

Titular da Fundtur, Bruno Wendling, explica que nome “Alumia” tem origem pantaneira. (Nathalia Alcântara, Jornal Midiamax)

“Este foi um dos primeiros contratos de gestão firmados com o governo com as suas secretarias, que nesse caso é a Fundtur, entregando esse projeto importante”, classificou o vice-governador. 

Outro ponto destacado no evento sobre a plataforma é que nem todas as cidades de Mato Grosso do Sul aparecem no sistema, já que nem todas possuíam dados suficientes para estarem em todos os painéis. Porém, a intenção é que a plataforma seja alimentada com frequência para atualização dos dados. 

Participaram da mesa do evento o vice-governador Barbosinha, o diretor-presidente da Fundtur Bruno Wendling, o coordenador de Informação e Inteligência de Dados da Embratur, Fabio Montanheiro Nascimento, o presidente do Conselho Estadual de Turismo do Mato Grosso do Sul, Marcelo Mesquita e o presidente da Fecomércio MS, Edison Araújo.

Para acessar a plataforma Alumia, clique aqui.