Com oito dias para a , a decoração ainda não finalizada da Cidade da Páscoa, acabou em desacordo e brigas entre a decoradora responsável pelo local, Maria Inês Martinusso, que acusa a Prefeitura de falta de parte do pagamento pelos serviços prestados. O local foi inaugurado nessa sexta-feira (31).

Em conversa com o Jornal Midiamax, a decoradora contou que foi contratada a pouco mais de um mês para fazer a inédita Cidade da Páscoa, “trabalhamos eu e minha equipe dia e noite para entregar um trabalho excelente mesmo com prazo curto, fizemos o que foi possível”, disse Maria Inês.

A decoradora ainda afirmou que teve de usar recursos financeiros próprios já que a Prefeitura não havia feito pagamento, e ela precisava pagar fornecedores já que o prazo era curto na busca de materiais para fazer o serviço.

Maria Inês ainda fala que teve funcionários da Prefeitura que iam ao local e desmereciam o trabalho que estava sendo realizado na Cidade da Páscoa, “ficaram colocando defeitos, uma falta de respeito”, disse Maria Inês que há 12 anos faz a decoração da Cidade do Natal. 

A decoradora ainda relatou que, apenas, parte do pagamento foi feito este e usado para pagar pessoal, mas que a outra parte do acordo financeiro não foi quitado e nessa sexta (31), ela teria feito a cobrança. 

Maria Inês ainda alega que tentou falar com a prefeita Adriane Lopes em ao local, ontem, mas foi impedida pelos funcionários que estavam junto de Adriane e acabou destruindo algumas peças de decoração. “Eu quebrei um vaso que era meu e estava dentro da casa montada na cidade”, disse a decoradora. 

Após o episódio, Maria Inês e sua equipe foram proibidos de entrar e voltar ao local pelos funcionários da Prefeitura, segundo contou a decoradora ao Midiamax. Ela não pode retirar móveis e objetos pessoais da Cidade da Páscoa. 

“Um absurdo que passei nesta semana. Já tentei falar com assessores da Prefeitura, mas ninguém me atende”, finalizou Maria Inês.

Em contato com a Prefeitura, o Jornal Midiamax teve como resposta que tudo está sendo cumprido conforme o acordo entre as partes, “A Prefeitura informa que  está cumprindo tudo o que foi acordado entre as partes. Não procede a informação sobre suposta proibição do acesso de qualquer profissional ao local do evento.”