Vacinação e testagem lotam postos em Campo Grande que têm reclamação de demora e aglomeração

Algumas unidades, como a do Noroeste, há ainda relatos de instabilidade no sistema
| 22/01/2022
- 15:57
Pessoas aguardando vacinação no Universitário neste sábado
Pessoas aguardando vacinação no Universitário neste sábado - (Foto: Leonardo de França)

O sábado (22) está sendo de movimento intenso nas unidades de saúde em Campo Grande. Isso porque a procura por testes e vacinação contra Covid está registrando grande procura neste final de semana. Há muitos relatos de demora nas filas dos postos, falta de organização em alguns momentos e, principalmente, aglomeração e falta de distanciamento entre as pessoas.

[Colocar ALT]
Pessoas aguardando atendimento no Noroeste (Foto: Arquivo Pessoal)

Na USF do Noroeste, por exemplo, a aglomeração e espera pode ter acontecido por conta, segundo a , de uma breve queda no sistema da unidade. Algumas pessoas reclamaram que a espera não foi breve e que, inclusive, houve desistência de espera por conta da demora

“Aqui tá lotado pra fazer exame de Covid. E não atendem. Ficam falando que caiu o sistema. Todo mundo no sol, idosos e crianças”, disse uma mulher que não quis se identificar via WhatsApp

Presencialmente, a equipe do Midiamax foi até duas unidades onde estão sendo realizadas testagem e aplicação de vacinas. Na USF Universitário, segundo as pessoas que aguardavam na fila, o problema estava sendo a demora na vacinação, além da falta de distanciamento.

Alexandre Sales, de 47 anos, mecânico, levou o filho para vacinação e já esperava há quase duas horas.“Na hora que eu chequei não estavam nem chamando, estavam resolvendo algum problema, isso é um perigo, só aumento o risco em vez de diminuir”.

Hellen Carla, de 39 anos, chegou no Universitário às 8h e às 9h40 anda aguardava ser chamada. “Acho que faltam profissionais para irem mais rápido”.

[Colocar ALT]
Criança lendo quadrinho enquanto aguarda vacinação

O problema na UBS do Jockey é semelhante, mas causado pela fila da testagem. Muitas pessoas não haviam pegado nem senha, que estava sendo liberada de 50 em 50 segundo orientação dos funcionários.

Edna Ventura, de 52 anos, já havia passado mais cedo, às 6h da manhã, em outro posto, do Guanadi, e desistiu, pois, a fila era muito grande.

“Eu vim porque minha neta testou positivo, estou aqui desde às 8h e agora são 10h. Mas ainda não peguei senha, estou aguardando. Tinha que ser mais organizado, mais rápido, pra não criar tumulto. Se você não tem (covid) vai pegar com esse tumulto”.

Já Keila Martins, de 47 anos, professora, foi preparada para espera, levou duas cadeiras de praia para esperar o teste com o marido. Ela também ainda não havia retirado senha.

“As coisas estão assim, sabemos como está funcionando, minha sobrinha veio e falou pra trazer cadeira, que não ia chegar e já ser atendido, e me recomendou”.

Segundo a Sesau houve um aumeno na demanda nos postos de vacinação neste sábado (22), e por isso, a orientação é que as pessoas que procuram unidades de saúde tenham paciência. Ainda segundo a Sesau, a vacinação em crianças tem uma particularidade, já que precisam ficar na unidade de saúde por 15 a 20 minutos para observação. "A Sesau reforça que tem buscado reforçar o efetivo das unidades e disponibilizar mais pontos de vacinação e testagem, justamente para que as pessoas consigam ter um melhor acesso aos serviços. A pasta compreende o anseio da população pelo atendimento mais célere e eficiente, no entanto, diante do cenário exposto anteriormente, pedimos a paciência e colaboração de todos, sobretudo neste momento."

(Matéria alterada às 12h50 para acréscimo de posição da Sesau)

 

 

 

Veja também

As contribuições em alimentos podem ser entregues no edifício-sede do TRT-MS,

Últimas notícias