Usuários de medicamentos de cannabis denunciam perseguição de prefeito da fronteira

Associação é responsável pela distribuição gratuita de óleo medicinal para mais de 200 famílias
| 03/03/2022
- 16:40
Famílias fizeram manifestação em Pedro Juan Caballero
Famílias fizeram manifestação em Pedro Juan Caballero - Reprodução/Redes sociais

Mais de 200 famílias paraguaias que moram em Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, denunciam perseguição por parte do prefeito Jose Carlos Acevedo. Ele quer proibir a distribuição gratuita do óleo do cannabis para fins medicinais.

A distribuição do produto é feita pela Apacam (Associação Paraguaia de Apoio Cannabis Amambay) e segundo informações do presidente da entidade, advogado Sandro Sanchez, a decisão de Acevedo atende interesses de grupos farmacêuticos que atuam na cidade.

Sandro Sanchez já havia alertado no fim do ano passado que haviam “forças ocultas” tentando desestabilizar o trabalho da entidade, fazendo ameaças a ele, seus familiares e pessoas cadastradas na entidade.

“Estamos encerrando temporariamente nossas atividades por conta dessa perseguição do intendente. Mas não vamos parar nosso trabalho”, disse o advogado, que atende até mesmo pessoas ligadas à Senad (Secretaria Nacional Antidrogas), que fazem uso do medicamento.

“Desde a fundação da associação começamos uma nova luta, de continuar salvando vidas. E desta vez precisamos da ajuda de todos vocês associados, familiares, colaboradores, todos que defendem a importância do acesso à cannabis para quem precisar”, desabafa Sanchez.

A reportagem do Midiamax entrou em contato com intendente de Pedro Juan Caballero, José Carlos, para falar a respeito das denúncias feitas pela Apacam, mas até o momento não obteve nenhuma resposta.

Veja também

Nesta reportagem especial, o Midiamax vasculhou cantos da Capital e trouxe a inspiração que faltava para você tirar o sonho do papel.

Últimas notícias