Três idosos caem em golpe em agências bancárias de Campo Grande e prejuízo soma R$ 20 mil

Em uma unidade, vítima teria sido distraída por criminoso e em outra diferente, o idoso recebeu ajuda de falso funcionário
| 05/02/2022
- 22:03
Vítimas procuraram a Depac Centro
(Foto: Leonardo de França/Midiamax)

Três idosos foram vítimas de golpes por criminosos, na tarde deste sábado (5), em unidades agências bancárias de Campo Grande. Em uma delas, o bandido distraiu a vítima para furtar o cartão e, em outra, o idoso teria recebido ajuda de um falso funcionário. O prejuízo soma mais de R$ 20 mil.

A primeira, vítima, um idoso de 70 anos, estava em uma agência na Avenida Júlio de Castilho, na Vila Alba. Conforme o boletim de ocorrência, um homem se aproximou dizendo que ele teria pego o cartão errado. O idoso inseriu o cartão no caixa para confirmar os dados, porém, o item ficou preso. Ele saiu do local para pedir ajuda ao filho, mas nem o rapaz e o cartão estavam mais. Logo depois, foram notificados pelo banco que foram feitos transferências de R$ 11,2 para contas diferentes.

A segunda vítima, um idoso de 71 anos, também foi furtado com o mesmo modo de agir dos bandidos, em uma agência da Avenida Mato Grosso. O indivíduo o abordou dizendo que havia saído um papel do caixa, que dizia que seria necessário atualizar a senha do cartão, momento em que inserir o cartão magnético e ficou preso na máquina.

O bandido até chegou a orientar a vítima a ligar para o banco, onde uma suposta funcionária atendeu e pediu as senhas, número do cartão e nome completo. Após verificar a conta, percebeu que foi sacado R$ 513 reais.

Já a terceira vítima, desta vez em um uma agência na Professor Luiz Alexandre de Oliveira, Vivendas do Bosque, foi furtada em quase R$ 8 mil. O mesmo golpe foi aplicado, onde um homem informa que havia saído do caixa, após o processo de fornecer os dados da conta para uma falsa atendente, foi sacado de sua conta o valor de R$ 7.889.

Alerta

As agências bancárias alertam que alguns golpistas procuram entrar em contato com os clientes se passando por empregados das centrais de cartões ou do banco, para obter informações e, assim, aplicar golpes.

As verdadeiras centrais de segurança dos cartões podem entrar em contato com você para confirmar transações e/ou alterações cadastrais realizadas no cartão de crédito, porém nunca pedem senha ou o número completo do cartão. Podem ser solicitados apenas os quatro últimos dígitos.

Outra maneira de golpe é quando o golpista oferece ajuda para a vítima no autoatendimento, geralmente quando a agência está fechada. Muitas vezes, ele está bem vestido, com uniforme do banco ou crachá. Quando a vítima entrega o cartão, rapidamente ele troca o cartão, diz que não tem mais problema algum e vai embora. Quando a vítima percebe que o cartão foi trocado, vai até o banco ou consulta o aplicativo pelo celular, já é tarde demais e valores foram sacados ou transferidos da sua conta.

A dica para se prevenir é que quando a agência estiver fechada não aceite ajuda de terceiros. Sempre que houver necessidade, peça ajuda para algum empregado da agência.

Veja também

O hospital tem atualmente 4 vagas por semana para acompanhamento de hormonioterapia

Últimas notícias