Sem medicamentos, pai fica mais de cinco horas na UPA Leblon e sai apenas com dipirona

| 29/04/2022
- 11:12
receita, mas apenas dipirona tinha disponível
Receita, mas apenas dipirona tinha disponível. (Foto: Leitor Midiamax)

Aguardar mais de cinco horas para ser atendido com a filha de seis anos foi a menor frustração que Fagner de Barros Umbelino, de 32 anos, passou na noite da última quinta-feira (28), na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Leblon, em Campo Grande. Mesmo com a doente, a farmácia pública estava sem medicamentos e o pai saiu apenas com dipirona para cuidar da menina.

Ele ficou surpreso ao ser informado que os remédios pedidos na não estavam disponíveis na unidade. “Sou pai solteiro de um casal, de quatro e seis anos. Vivemos da minha renda do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), pois estou ‘encostado’ há três anos. Final do mês, não tenho como comprar”, reclama.

A menina ainda está doente, com tosse, dor no peito e garganta inflamada. Ele fez um orçamento dos medicamentos pedidos pelo pediatra, mas desembolsaria, pelo menos, R$ 200. “Agora, não sei o que fazer. Minha filha não está bem. Moro aqui [na Capital] desde 1989 e nunca vi faltar o básico nos postos de saúde”, questiona.

Em nota, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informou que Azitromicina deve ser entregue para a secretaria na semana que vem, e logo distribuída às unidades. "A Loratadina xarope está em falta na fábrica. Quanto ao medicamento Prednisolona, a empresa que ganhou o processo licitatório pediu cancelamento, desta forma a prefeitura iniciou um novo processo de compra do medicamento".

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Veja também

Trechos serão liberados entre terça e quarta

Últimas notícias