Professores mantêm greve em Dourados e aguardam nova negociação nesta quinta

Reunião entre representantes do Simted e administração municipal está agendada para as 11 horas
| 17/03/2022
- 11:32
Professores de Dourados durante manifestação iniciada na semana passada
Professores de Dourados durante manifestação iniciada na semana passada - Marcos Morandi

A greve de professores da Reme (Rede Municipal de Ensino) de Dourados entra no quarto dia nesta quinta-feira (17), quando acontece mais uma rodada de negociações entre representantes do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação de Dourados) e administração municipal. A reunião está agendada para as 11 horas no gabinete do prefeito Alan Guedes (PP).

Segundo informações do Simted, o índice de reajuste linear de 10,39% para os servidores municipais e que previa o pagamento de 8% em abril 2022 e 2,39% a partir de dezembro, apresentado pela prefeitura foi rejeitado. Entretanto, a categoria aguarda resposta da contraproposta entregue na terça-feira, depois da assembleia dos professores.

O Sindicato afirma ainda que após uma nova assembleia realizada na noite desta segunda-feira (14), os professores decidiram manter o movimento, que foi considerado ilegal pela Justiça de Mato Grosso do Sul.

Na nova proposta apresentada à administração municipal, os educadores pedem pagamento de 18,8% retroativo a janeiro de 2022, 5,9% em agosto de 2022 e 5,9% em dezembro de 2022 e reajuste de 10,39% para os administrativos.

Ainda de acordo com o que ficou deliberado durante a assembleia, os professores decidiram manter as manifestações iniciadas na quinta-feira da semana passada. Na manhã desta quinta-feira (17), os educadores ficam concentrados em frente ao CAM (Centro Administrativo Municipal), enquanto aguardam a continuidade das negociações.

Administração municipal

A proposta da administração municipal, segundo o prefeito Alan Guedes (PP), é extensiva a todos os servidores municipais, sendo que 8% serão pagos a partir de abril de 2022 e 2,39% a partir de dezembro. “Oficializamos a proposta linear para todos os servidores municipais, com reajuste de 10,39% dos salários, ainda dentro de 2022”, afirmou Alan.

O valor apresentado pela gestão foi baseado em estudos, levantamentos fiscais e em consonância com a – Lei Complementar n° 101/2000, que regulamenta a utilização de recursos públicos, objetivando o controle de gastos, respeitando os limites de despesas e cumprindo metas orçamentárias.

“Temos esse compromisso de austeridade fiscal na gestão do prefeito Alan e mantivemos a proposta dentro do que é viável de acordo com o orçamento público”, ressaltou o secretário de Fazenda, Everson Cordeiro.

Segundo informações divulgadas pela administração municipal, o prefeito também garantiu, na tarde desta segunda-feira (14), em reunião com os representantes do Simted, o piso nacional aos professores no valor de R$ 3.846,14 para 40 horas semanais trabalhadas.

“Do ponto de vista financeiro estamos fazendo todos os esforços possíveis para garantir o piso aos professores dentro do ano. Era um compromisso meu com a categoria. Sabemos que existem outras demandas e vamos cuidar para que isso também avance dentro da minha gestão”, disse o prefeito.

Decisão

O desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, Sérgio Fernandes Martins, aceitou o requerimento da Prefeitura Municipal de Dourados que ingressou com um mandado de segurança para impedir que os professores da rede municipal entrassem em greve a partir desta segunda-feira (14).

Isso porque o Simted anunciou, em ofício enviado ao Executivo, que deflagraria greve a partir desta segunda após assembleia realizada no último dia 7 de março. A decisão judicial determina, porém, que o sindicato suspenda imediatamente a greve anunciada, sob pena de multa de R$ 50 mil por dia de descumprimento da medida.

Como fundamento para decisão, o desembargador diz que o sindicato não informa o tempo de duração da greve, assim como sequer menciona qual o percentual de profissionais de educação que permanecerão em atividade com o objetivo de garantir a prestação do serviço essencial de educação no município.

"A realização da greve causará enorme prejuízo aos estudantes do município de Dourados, os quais, devido à pandemia decorrente da Covid-19, já foram privados de aulas presenciais por longo lapso temporal", diz parte da decisão.

Questionado pela reportagem do Midiamax a respeito da decisão judicial e também do pagamento da multa no caso da manutenção da greve, o presidente do Simted, professor Thiago Coelho, explicou que a entidade já entrou com um novo pedido.

“Estamos dentro dos prazos de trâmites legais e já recorremos à decisão da Justiça. A de Dourados é um direito legítimo e encontra respaldo na sociedade”, explica o dirigente, que também faz interlocuções junto ao Legislativo, com apoio da maioria dos vereadores.

Veja também

Índice de baixa umidade deve variar entre 30% e 20% ao longo do dia, segundo o Instituto

Últimas notícias