Impasse: professores marcam nova reunião com prefeito para tentar acordo sobre reajuste

Nova manifestação da categoria está prevista para acontecer na tarde desta quinta-feira
| 24/02/2022
- 14:02
Os professores seguem pedindo os 33
Os professores seguem pedindo os 33,24% de aumento e o prefeito ofereceu o reajuste de 22,12%. - Arquivo/Midiamax

O impasse entre a e os professores da Reme (Rede Municipal de Ensino) ainda continua. A uma semana do retorno das aulas, nesta quinta-feira (24), o Marcos Trad (PSD), se reúne com uma comissão dos educadores para tentar buscar uma solução do reajuste salarial da categoria.

Os professores seguem pedindo os 33,24% de aumento e o prefeito ofereceu o reajuste de 22,12%. A proposta foi enviada pela prefeitura e prevê o pagamento do reajuste de 5% em março e de 5,06% em dezembro, totalizando 10,06% em 2022. Para completar os 23,18% que restam do pedido dos professores, o reajuste seria pago em duas parcelas iguais de 11,59% em 2023, mas condicionadas às possibilidades dos cofres públicos.

Segundo o presidente da ACP, Lucílio Souza Nobre, a categoria pede que todo o reajuste seja pago neste ano, mesmo que dividido em duas parcelas e que a associação vai se reunir novamente com o Executivo Municipal, para discutir os termos do reajuste — não abrindo mão do pagamento em 2022.

Indicativo de greve

Durante a assembleia realizada no último dia 22 de fevereiro, os professores chegaram e entoar pedidos de greve, mas a ACP ainda vai se reunir novamente com a prefeitura antes de discutir um indicativo de paralisação. A categoria já fez até manifestação, que reuniu centenas de profissionais.

Conforme Lucílio, a paralisação ainda não foi conversada na ACP por conta das aulas que estão prestes a começar e que poderia confundir pais e alunos. Porém, caso a reunião de quinta não tenha bons resultados, a associação irá discutir um indicativo de greve em assembleia.

Veja também

Folha de pagamento soma R$ 208.899.358,08 para 83 mil funcionários públicos

Últimas notícias