Por ordem de Bolsonaro, Queiroga não fala com a imprensa durante evento em Campo Grande

Equipe que acompanhava o ministro disse que ele não daria entrevistas 'por ordens presidenciais'
| 13/07/2022
- 18:13
Por ordem de Bolsonaro, Queiroga não fala com a imprensa durante evento em Campo Grande
Ministro Marcelo Queiroga | Foto: Nathalia Alcântara, Midiamax

Presente em congresso sediado em Campo Grande, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, não falou com a imprensa por ordem do presidente (PL). O ministro participará de abertura de e fará discurso no Congresso CONASEMS.

Conforme a organização do evento e equipe do ministro, ele não poderia dar entrevistas 'por ordens presidenciais' devido ao período eleitoral. Ele realizará a abertura e o discurso e, em seguida, já deixará a Capital.

A recusa de pronunciado à imprensa sul-mato-grossense no evento acontece em meio ao caso de um policial penal federal, Jorge José da Rocha Guaranho, matar a tiros o guarda municipal e tesoureiro do PT de Foz do Iguaçu Marcelo Arruda, no último sábado (9).

Além do caso que envolve o médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra, de 32 anos, preso em flagrante por estuprar uma mulher que passava por uma cesárea no último domingo (10), no Hospital da Mulher Heloneida Studart, em São João do Meriti, na Baixada Fluminense. Hospital da rede pública de Saúde.

Evento em Campo Grande

Conforme a agenda oficial, o ministro esteve primeiro na 17ª Mostra Brasil, aqui tem SUS no Congresso CONASEMS e participa da cerimônia de abertura do evento, às 19h. Os eventos acontecem no shopping Bosque dos Ipês.

O congresso é aberto para todo o país e reúne cerca de 8 mil pessoas. O evento é voltado para profissionais da saúde, como médicos, dentistas e  enfermeiros. São 27 estantes no congresso, cada um representando um estado e o Distrito Federal.

Conforme o secretário de saúde do Estado, Flávio Britto, o evento é importante para discutir a saúde pública no Brasil e teve MS como sede neste ano.

O secretário de saúde Municipal, José Mauro, disse ser um grande orgulho receber um evento de grande porte como o congresso. "São dois mil secretários de saúde de todo o Brasil presente. Esse é um evento que é visto em grande capitais e Campo Grande está sediando, e surgiu num momento de pós-pandemia, no qual concentra boa parte da discussão desse evento, assim como políticas de acesso", disse.

José Mauro jantará com o ministro Queiroga e entregará pedidos de regulação e habilitação.

Congresso

Segundo a Prefeitura de Campo Grande, são 336 relatos apresentados, sobre o desenvolvimento do trabalho em outros estados e a diversidade na construção política do SUS. A mostra começou em todos os 26 estados brasileiros e no Distrito Federal, por encontros estaduais do COSEMS (Conselho de Secretarias Municipais de Saúde), envolvendo 3.334 trabalhos inscritos e debatidos.

O principal objetivo do encontro é apresentar o caráter descentralizado da Mostra que possibilita um processo de reinvenção do Sistema Único de Saúde por todo território nacional. Em cada apresentação uma história, que muitas vezes traz um registro de superação das adversidades diante dos desafios e da escassez de recursos.

Representando a região Centro-Oeste, serão 283 trabalhos apresentados, sendo 71 de Mato Grosso do Sul. Vale lembrar que as pesquisas podem resultar em prêmios.

Veja também

Mauro Ortiz trocou PSDB por União Brasil para disputar eleições deste ano

Últimas notícias