Todo ano o mesmo drama, candidatos que se preparam durante meses e até anos para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) sofrem como nunca ao se atrasar, chegar depois do fechamento dos portões e adiar por pelo menos mais um ano a entrada no Ensino Superior.

Em Campo Grande, neste domingo (13), não foi diferente. Em um dos maiores locais de aplicação da prova, na Uniderp da Avenida Ceará, duas estudantes que se inscreveram para o Enem chegaram minutos depois do meio-dia, horário oficial de fechamento dos portões.

Aos 17 anos, Eduarda Merchiazi fez de tudo para conseguir participar do exame, mas os problemas começaram ainda de manhã. “Eu perdi meu RG e às 10h30 vi que minha bolsinha onde ele fica não estava em casa, fui na minha escola para procurar e o diretor me orientou a fazer um boletim de ocorrência”.

Em uma corrida contra o tempo, a irmã de Eduarda foi até a delegacia para registrar o extravio do documento, na esperança de conseguir fazer a prova apenas com a cópia do boletim de ocorrência, mas não adiantou.

O problema foi que Eduarda chegou dois minutos depois dos portões se fecharem. O desespero e pedido de ajuda para os fiscais que coordenam a aplicação do exame não deram em nada e a adolescente perdeu a chance de fazer a prova. “Eu acho que me furtaram o RG. Estou no terceiro ano e ia tentar Direito”, conta a jovem, em desespero.

Relógio não perdoou a desatenção da família

Outra família que viu a oportunidade de fazer o Enem falhar neste domingo foi a de Marlene Pedrosa. Ela e a filha, de 16 anos e que se inscreveu para o Enem, moram no Jardim Paulista e vivem em Campo Grande há menos de 1 ano. Eles se mudaram de Minas Gerais, onde o fuso horário é o mesmo de Brasília.

Em razão disso, a família não se atentou que o horário para fechamento dos portões em Mato Grosso do Sul é meio-dia e não 13 horas. “Imaginei que estivéssemos adiantadas, mas chegando aqui soube que fechava ao meio-dia”, contou a mãe, revoltada com a situação.

Mãe e filha chegaram ao local cinco minutos após os portões fecharem. Por cursar o segundo ano do Ensino Médio, a adolescente poderá fazer o Enem novamente em 2023 e, quem sabe, conseguir ingressar na faculdade.

Portões fecharam ao meio-dia em ponto (Foto: Danielle Errobidarte, Midiamax)

Provas divididas em dois dias

Neste domingo, quem se inscreveu para o Exame responderá questões de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Cieências Humanas e suas Tecnologias, além da Redação, que todos os anos gera curiosidade e apreensão dos candidatos que tentam se preparar para vários temas possíveis.

Hoje são 40 questões de Língua Portuguesa, cinco de Língua Estrangeira (inglês ou espanhol, escolhida na inscrição) e 45 de Ciências Humanas. Além das questões objetivas, os estudantes farão a redação neste dia.

No próximo domingo (20) serão cobradas questões de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, assim como Matemática e suas Tecnologias.

Em Mato Grosso do Sul 43.590 se inscreveram no exame, sendo que em Campo Grande, 17.028 pessoas optaram pelo Enem impresso e outras 1.115 pelo digital, somando 18.143 inscritos.