‘Pedi demissão do meu emprego’: candidatos lamentam adiamento do concurso da Guarda Municipal

A aula inaugural do Curso de Formação Técnico-Profissional (6ª fase) teria início nesta sexta-feira (24)
| 24/06/2022
- 15:06
GCM concurso
Mais de 500 candidatos tiveram a matrícula aprovada para a nova etapa. (Foto: Ilustrativa)

No dia em que seria a data da primeira aula no curso de formação do concurso da Guarda Municipal, resta aos candidatos lamentar o novo adiamento no andamento do processo. O curso deverá formar novos 273 agentes na segurança pública de Campo Grande. 

A aula inaugural aconteceria nesta sexta-feira (24), mas com novo adiamento para adequação da grade curricular, com base na nova regulamentação do Ministério da Justiça e Segurança Pública, segue sem de andamento.

O concurso da Guarda Municipal já havia sido adiado outras três vezes devido à pandemia da covid e recebeu um novo cronograma no início do ano, que deu confiança aos candidatos aprovados para a 6ª fase deixarem os atuais empregos.

“Coloquei todas as minhas fichas nesse concurso. A perspectiva é ser chamado logo para até fim do ano estar apto a fazer um bom trabalho para sociedade”, disse um candidato que pediu demissão do emprego como soldador para iniciar o curso de formação. 

Outra candidata relatou ao Midiamax que fez um acordo no trabalho e chegou a cumprir aviso prévio para se preparar para o curso de formação. Agora, desempregada, ela aguarda uma definição da banca.

"Sou chefe de família, somos só eu e meu filho de 10 anos. Estou desempregada desde o dia 18, estava de aviso já que o curso de formação iria começar dia 24. Atualmente não tenho a mínima ideia de como serão os próximos dias. Sabemos que concurseiro está sujeito a tudo, mas já pararam esse concurso 3 vezes", comenta a candidata.

Já na área da segurança, um candidato disse que deixou o emprego de vigilante patrimonial, onde trabalhava há mais de três anos.

"Na minha opinião, o concurso foi suspenso mais vezes do que o necessário. Foi duas vezes por conta da pandemia (enquanto outros concursos aconteceram na mesma época) e a suspensão de agora podia ter sido evitada se a prefeitura tivesse se atentado à determinação", se refere o candidato à Portaria nº 9–CGCSP/DIREX da Polícia Federal de abril desse ano.

Em conversa com a Seges (Secretaria Municipal de Gestão), os candidatos teriam recebido a justificativa que a determinação da portaria não foi acatada antes porque o edital seria anterior a ela.

A prova do concurso foi realizada no dia 19 de setembro; a divulgação dos aprovados no dia 8 de outubro; o TAF (Teste de Aptidão Física) começou no dia 27 de outubro e, em janeiro, o concurso foi novamente adiado por conta da pandemia.

Concurso com alteração nas datas

No dia 10 de junho foi divulgado no Diogrande quando o concurso sofreria uma alteração nas datas e que o Curso de Formação Técnico-Profissional (6ª fase) não mais se iniciaria no dia 24 de junho com a aula inaugural.

A mudança ocorreu devido à adequação da nova grade curricular, com base na nova regulamentação do Ministério da Justiça e Segurança Pública que estabelece o currículo obrigatório da disciplina de armamento e tiro dos cursos de formação das guardas municipais. 

Conforme a prefeitura, a (Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social) alterou para 760 h/a o curso de formação do certame da Guarda Civil Metropolitana. A mudança nacional foi na disciplina de Armamento e Tiro.

O edital divulgado em 2020 previa carga horária e conteúdos curriculares de acordo com a grade curricular do Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública), com 576 h/a, de segunda a sexta-feira, com 7h diárias de curso. Com isso, deverá ter um acréscimo de 184 horas/aulas o tempo do curso.

A Seges informou na ocasião que um novo cronograma está sendo planejado para a realização do Curso de Formação e, em breve, será disponibilizado a todos os candidatos. A organização do concurso é do Instituto Selecon.

95% da Guarda Municipal armada

Enquanto o curso para formar novos agentes não se inicia, na quarta-feira (22), foi entregue um certificado do curso de armamento letal para 101 Guardas Civis Metropolitanos, em Campo Grande. Com isso, a corporação passa a ter 95% do efetivo apto para utilizar armamento letal.

De acordo com a Sesdes (Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social) de Campo Grande, 1.506 servidores da GCM já foram certificados para o uso de armamento letal desde 2017, quando a corporação passou a utilizar armas de fogo.

Além disso, também foram entregues 36 novas motocicletas, gerando acréscimo de 138% na frota de viaturas de duas rodas. Das motociclistas adquiridas, 21 foram adquiridas por R$ 605.850,00 com recursos da Prefeitura Municipal.

As 15 motociclistas custaram R$ 432.750,00 e foram custeadas com recursos do convênio firmado com o Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul).

Veja também

Temperatura deve ter queda acentuada nesta terça-feira

Últimas notícias