No chão há dois meses, poste se torna parte da paisagem e complica trânsito em rua de Campo Grande

Empresário relata prejuízo de R$ 13 mil; poste atingiu carro estacionado
| 26/04/2022
- 17:14
No chão há dois meses, poste se torna parte da paisagem e complica trânsito em rua de Campo Grande
Poste está no local há dois meses - (Foto: Stephanie Dias/Midiamax)

Há dois meses sem solução, um poste derrubado na Rua Jatai, no bairro Guanandi, em Campo Grande, se tornou parte da paisagem. Sinalizado por questões de , a segurança segue causando incomodo e transtorno para motoristas que transitam pelo local em horários de maio movimento.

Osvaldo Ortiz, de 72 anos, possui um pequeno comércio no local e foi a primeira vítima do poste. Ele conta que no momento da queda, a estrutura atingiu seu carro, gerando um prejuízo de R$ 13 mil. “Caiu em cima do carro, aí amassou tudo né. Quebrou vidro, portas, amassou o teto”, explicou o empresário.

Clientes do local também afirmam já terem se acostumado com a situação. “Olha eu não passo aqui sempre, mas há uns 15 dias pesei e o posto já estava aí”, comentou uma mulher, que preferiu não se identificar. Para Osvaldo, o problema é perceptivo nos “horários de pico”, quando o fluxo de veículo aumenta drasticamente.

poste no chao Stephanie Dias 2 - No chão há dois meses, poste se torna parte da paisagem e complica trânsito em rua de Campo Grande
Empresário conta ainda esperar para que responsável retire a estrutura da via. (Foto: Stephanie Dias/Midiamax)

“Sempre tem alguém que vai virar e se depara com o posto. Essa parte da rua fica interditada, ou seja, os carros que vão virar ali, precisam entrar na contramão”, explicou o empresário utilizando as mãos para explicar a logística aplicada pelos motoristas para enfrentarem o cenário.

Osvaldo afirma que a responsável pelo poste é a empresa de telefonia Oi.

A reportagem entrou em contato com a para averiguar a situação. Em nota, por meio de sua assessoria, foi explicado que a retirada do poste é de responsabilidade da concessionária de energia, que já foi acionada.

A empresa Oi também foi contata, mas não atendeu as ligações. O espaço segue.

*Matéria editada às 16:24 do dia 27/04/2022 para acréscimo de posicionamento.

Veja também

Nove indígenas foram para o hospital da região e outros não procuraram ajuda médica por medo

Últimas notícias